Leitura bíblica - dia 42

Gênesis 42
A fome também era muito grande em Canaã. Jacó envia seus filhos, com exceção de Benjamin, para comprar trigo no Egito. Quando chegaram, curvaram-se, rosto em terra, diante do governador José (de acordo com o que ele tinha sonhado anos antes em Gênesis 37:7). Ele reconheceu seus irmãos, mas eles não. José insinua desconfiar que eles sejam espiões. Eles contam tudo sobre sua família. José então,  exige que o irmão mais novo compareça também diante dele. Só então iria acreditar na história que eles contaram. Dessa forma,  Simeão ficou preso enquanto os outros voltaram para levarem o mantimento para a família e buscar Benjamin. Entre os mantimentos,  José escondeu prata para eles. Isso os deixou terrivelmente confusos. Jacó, temeroso, não quer liberar Benjamin para a viagem.

Salmos 42
É o grito de um homem que está longe das ordenanças exteriores e culto de Deus, suspirando pela antiga casa, já há muito estimada, de seu Deus, e ao mesmo tempo é a voz do crente espiritual, sob depressão, desejando ardentemente a renovação da presença divina, lutando com suas dúvidas e temores, contudo, ainda mantendo-se em pé pela fé no Deus vivo. A grande maioria da família do Senhor já velejou no mar que aqui é tão graficamente descrito. É provável que a fuga de Absalão que Davi fez possa ter sido quando ele compôs este Maschil.

Marcos 15
Pilatos é uma pessoa bastante interessante na história bíblica.
Era prefeito da Província Romana da Judéia e foi, portanto, quem decretou a crucificação de Jesus (a própria crucificação era a pena de morte romana. Se fosse pelas leis judaicas, Jesus teria sido apedrejado). Nota-se porém, que Pilatos não queria condenar a Jesus. Ele sabia que os religiosos o acusavam apenas por inveja. Deu chance para ele se defender, mas Jesus permaneceu em silêncio. Propôs que o povo escolhesse a Barrabás, mas por influência dos religiosos, o povo escolheu a Jesus. Perguntou à multidão, de quê o acusavam. Mas o povo simplesmente clamava pela crucificação. Pilatos, político que era, acabou por concordar com a voz do povo. Então Jesus seguiu para a condenação.

Outro personagem a ser observado é Simão, o cirineu. Você já não ouviu a história do piedoso homem que ajudou Jesus a carregar a cruz? Não é bem isso que é descrito neste capítulo:

"Certo homem de Cirene, chamado Simão, pai de Alexandre e de Rufo, passava por ali, chegando do campo. Eles o forçaram a carregar a cruz."
(Marcos 15:21)

Jesus foi crucificado por volta das nove da manhã. Depois disso, sofreu na cruz todo tipo de deboche e zombaria, não apenas dos religiosos, soldados e do povo em geral, mas até mesmo de outros homens que também estavam crucificados! Por volta das três da tarde, Jesus morreu.

Outro interessante personagem é José de Arimatéia, importante membro do Sinédrio. Foi ele quem pediu o corpo de Jesus a Pilatos.  Foi ele quem tirou Jesus da cruz. Ele que comprou e envolveu o corpo em um lençol de linho. Foi ele quem cedeu seu próprio túmulo a Jesus.