Leitura bíblica - dia 92

Êxodo 39
A maior parte deste capítulo é dedicada a detalhar a confecção das vestes litúrgicas. Foi a última parte do trabalho desses artistas preparados por Deus para a construção do Tabernáculo e seus objetos.  Agora, tudo estava pronto.

"Moisés inspecionou a obra e viu que tinham feito tudo como o Senhor tinha ordenado. Então Moisés os abençoou."
(Êxodo 39:43)

Salmos 89
Chegamos agora ao majestoso salmo da Aliança (ou do Pacto) que, de acordo com o arranjo judaico, completa o terceiro livro dos salmos. É o pronunciamento de um crente, na presença de um grande desastre nacional, pleiteando com seu Deus, insistindo no grande argumento das disposições da aliança, e esperando livramento e ajuda, por causa da fidelidade de Jeová.

TÍTULO
Este é muito apropriadamente chamado Maschil, pois é muito instrutivo. Não há tema mais importante para a teologia do que a aliança. Aquele que é ensinado pelo Espírito Santo a ser claro sobre a aliança da graça será um escriba bem instruído nos assuntos do reino; aquele cuja teoria doutrinária é um emaranhado de obras e graça dificilmente será capaz de ser o mestre de recém-nascidos na fé. Poema do ezraíta Etã: talvez a mesma pessoa que Jedutum, músico no reinado de Davi que destacou-se por sua sabedoria nos dias de Salomão e que, provavelmente, tenha sobrevivido até as tribulações do período de Roboão. Se este foi o homem, ele deve ter escrito este salmo na velhice, quando problemas caíam grossos e pesados sobre a dinastia de Davi e a terra de Judá; isso não é de modo algum improvável, e há muita coisa no salmo que parece demonstrar isso.

DIVISÃO
O poeta sacro começa afirmando que crê na fidelidade do Senhor à sua aliança com a casa de Davi e faz sua primeira pausa em Sl 89.4. Ele então louva e engrandece o nome do Senhor por seu poder, justiça e amor, Sl 89.5-14. Isso o leva a cantar a felicidade do povo que tem tal Deus para ser sua glória e defesa, Sl 89.19-37, e então lamentosamente dá voz à sua queixa e petição, Sl 89.38-51, terminando com uma forte bênção e um amém duplo. Possa o Espírito Santo nos abençoar muito a leitura deste preciosíssimo salmo de instrução.
(Charles Spurgeon)

Atos 4
No capítulo anterior vimos uma maravilhosa passagem onde Pedro dá todo o mérito a Jesus Cristo após a cura de um aleijado às portas do Templo. Seu discurso deixou os religiosos muito perturbados porque tanto Pedro como João estavam ensinando o povo e proclamando em Jesus a ressurreição dos mortos. Resultado: os apóstolos passaram a noite na cadeia!  Mas mesmo com toda o ódio dos líderes religiosos, muita gente foi alcançada    pelo Evangelho naquele dia.

"Mas, muitos dos que tinham ouvido a mensagem creram, chegando o número dos homens que creram a perto de cinco mil."
(Atos 4:4)

No dia seguinte, Pedro e João foram levados à presença dos líderes religiosos e submetidos a um interrogatório. Queriam saber com que poder ou em nome de quem foi possível a cura do aleijado. Então Pedro, que se tornara um exímio orador após o batismo com o Espírito Santo, apresentou uma defesa irrefutável, que deixou os religiosos admirados, pois sabiam da origem humilde e sem instrução dos discípulos de Jesus. Pedro e João foram dispensados, pois não havia de quê culpá-los, uma vez que todos viram a cura do homem. 

Após uma reunião, os religiosos chamaram de volta os apóstolos e ordenaram que eles não mais falassem sobre Jesus. Mas Pedro e João responderam:

"Julguem os senhores mesmos se é justo aos olhos de Deus obedecer aos senhores e não a Deus. Pois não podemos deixar de falar do que vimos e ouvimos".
(Atos 4:19-20)

O capítulo ainda destaca a generosidade dos primeiros cristãos, ao relatar que muitos vendiam suas propriedades e levavam o dinheiro aos apóstolos e eles (ao contrário dos "apóstolos" de hoje em dia) compartilhavam todas as coisas.

Leitura bíblica - dia 91

Êxodo 38
É a continuação do capítulo anterior. Toda a confecção do Tabernáculo em seus minuciosos detalhes e a incrível contribuição de Bezalel, homem capacitado unicamente por Deus para confeccionar os objetos sagrados com excelência.

Salmos 88
Um canto ou salmo para os filhos de Corá. Este lamento triste tem pouca semelhança com um canto, nem podemos entender como pode ter recebido um nome que significa um canto de louvor ou triunfo; contudo, talvez tenha sido intencionalmente assim chamado para mostrar como a fé "gloria também em tribulações". Com certeza, se existem cantos de lamentação e salmos de tristeza, este é um deles. Os filhos de Corá, que muitas vezes se uniram para salmodiar poemas jubilosos, são agora encarregados de cuidar destas frases tristonhas como se fossem um hino. Servos e cantores não têm muita escolha. Ao mestre dos músicos. Ele precisa dirigir os cantores e certificar-se de que cumpram bem a sua obrigação, pois tristeza santa deve ser expressa com tanto cuidado como o mais alegre louvor; nada deve ser feito de qualquer jeito na casa do Senhor. É mais difícil expressar bem a tristeza do que fazer soar notas de alegria. Sobre Mahalath Leannoth. Isso se traduz por Alexander: "com respeito à doença aflitiva", e, se estiver correto, indica a doença mental que ocasionou este canto tristonho. Maschil. Este termo já ocorreu várias vezes, e o leitor se lembrará que indica um salmo instrutivo ou didático: as tristezas de um santo são lições para outros; ensino experimental é extremamente valioso. De Hemã, o ezraita. O que nos indica a sua provável autoria; pode ter sido escrito por Hemã; mas qual deles não é fácil determinar, embora talvez não erremos muito ao supor que seja o homem mencionado em 1Re 4.31, como irmão de Etã, um dos cinco filhos de Zerá (1Cr 2.6), o filho de Judá, e, portanto, chamado "o ezraíta": se isso estiver certo, ele era famoso por sua sabedoria, e sua estadia no Egito durante o tempo da opressão do Faraó pode ajudar a explicar o baixo profundo de sua composição, e a forma antiga de muitas das expressões, que parecem mais de acordo com o estilo de Jó do que com o de Davi. Houve, no entanto, um Hemã no tempo de Davi que fazia parte do grande trio de músicos principais, "Hemã, Asafe e Etã" (1Cr 15.19), e não podemos provar que não tenha sido o compositor. Mas isso não é muito importante; quem quer que tenha escrito esse salmo era uma pessoa que possuía uma profunda experiência, que havia lidado nas grandes águas da tribulação da alma.
(Charles Spurgeon)

Atos 3
Pedro e João estão à porta do Templo, quando surge um aleijado pedindo-lhes esmola.

Disse Pedro: "Não tenho prata nem ouro, mas o que tenho, isto lhe dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, ande".
(Atos 3:6)

O homem foi curado e passou a pular de alegria e louvar a Deus, chamando assim a atenção de todos. O povo passou a considerar a Pedro e a João como milagreiros ou algo do tipo. Pedro, em um tom áspero, procura desfazer o engano, explicando que o homem foi curado por Deus, pelo Nome de Jesus.  Aproveitando a curiosidade dos transeuntes, Pedro emenda uma pregação sobre Cristo, explicando que Ele era o Messias anunciado há séculos pelos profetas, coisa que os judeus sabiam muito bem e mesmo assim o mataram. O Evangelho também é anunciado, por meio de sua principal mensagem. Aquela mesma que anda sumida no atual cristianismo"

"Arrependam-se, pois, e voltem-se para Deus, para que os seus pecados sejam cancelados."
(Atos 3:19)

Leitura bíblica - dia 90

Êxodo 37
Para quem se interessa por arqueologia bíblica, relíquias, arte israelita entre outros assuntos similares, Bezalel é o nome do cara! Ele é simplesmente o artista que foi capacitado por Deus para confeccionar a Arca da Aliança! E não apenas isso. Fez também a mesa, o candelabro, os utensílios... Tudo o que, durante séculos, representou as coisas sagradas para o povo judeu, tanto no Tabernáculo como mais tarde no Templo. Este capítulo ressalta o seu trabalho.

Salmos 87
Um salmo ou cântico para os filhos de Corá. Um hino sagrado e um poema nacional. Uma teocracia combina as idéias religiosas e patrióticas em um só, e à medida que nações se tornam cristianizadas, suas canções populares se tornarão profundamente impregnadas de sentimentos piedosos. Julgado por esse padrão, nossa própria terra está muitíssimo atrasada. Este "salmo ou canção" foi composto pelos filhos de Corá ou foi dedicado a eles: como eles guardavam as portas da casa do Senhor, podiam usar esta bela composição como um salmo dentro das portas, e como um canto fora.
(Charles Spurgeon)

Atos 2
Passaram-se 50 dias desde que Jesus havia ressuscitado. No quinquagésimo dia depois da Páscoa, os judeus comemoram a Festa de Pentecostes. E justamente nesse dia, os apóstolos estavam reunidos todos em um mesmo lugar,  quando houve aquilo que Jesus prometeradez dias antes: os discípulos foram batizados com o Espírito Santo. A partir desse momento observaremos uma grande mudança no entendimento e na atitude dos seguidores de Cristo. Foi um evento sobrenatural. Todos ouviram um estrondo e viram uma forte luz pousar sobre cada um deles. Houve também um importante fenômeno: as "línguas estranhas". Perceba que do lado de fora, havia pessoas de várias nacionalidades, talvez passando pela cidade por conta da data festiva.

"Havia em Jerusalém judeus, tementes a Deus, vindos de todas as nações do mundo."
(Atos 2:5)

Todo esse fenômeno que estava acontecendo com os discípulos, chamou a atenção dessas pessoas.

"Ouvindo-se este som, ajuntou-se uma multidão que ficou perplexa, pois cada um os ouvia falar em sua própria língua."
(Atos 2:6)

Perceba que houve uma comunicação efetiva.  Pessoas ainda não-cristãs, de várias nacionalidades, ouviam as maravilhas de Deus em seu próprio idioma.

"Nós os ouvimos declarar as maravilhas de Deus em nossa própria língua!"
(Atos 2:11)

Isso é exatamente o contrário daquilo que a religião humana tem ensinado de alguns anos pra cá.  Hoje várias pessoas, da mesma nacionalidade, se reúnem em um local fechado,  e falam coisas que ninguém entende. Percebeu? É justamente o contrário!  Observe que entre os versículos 9 e11 são listadas 15 nações diferentes.  O comentário é o seguinte:

Atônitos e maravilhados, eles perguntavam: "Acaso não são galileus todos estes homens que estão falando? Então, como os ouvimos, cada um de nós, em nossa própria língua materna?
(Atos 2:7)

Cuidado com os falsos pastores que tentam banalizar a ação do Espírito Santo de Deus.

Outro ponto: há pouco menos de dois meses atrás, Pedro estava negando a Cristo, xingando pessoas, se mostrando confuso e violento. Vimos no capítulo anterior, que os discípulos ainda pensavam ser Jesus um libertador político. Mas agora, depois do batismo com o Espírito Santo, não apenas suas emoções, mas seu entendimento foi mudado e aperfeiçoado. Entre os versículos 14 e 40, Pedro nos surpreende com um discurso impecável, cheio de sabedoria vinda de Deus. Cerca de três mil pessoas foram convertidas. Algo que seria inviável antes do batismo com o Espírito Santo.

Leitura bíblica - dia 89

Êxodo 36
Os israelitas estavam trazendo várias ofertas para a construção do Tabernáculo. Os homens que foram capacitados por Deus para a execução do trabalho, interromperam as atividades e avisaram a Moisés que já tinham material suficiente, mas o povo não parava de trazer ofertas. Então Moisés decretou algo que dificilmente ouviremos nos "templos" de hoje:

"Nenhum homem ou mulher deverá fazer mais nada para ser oferecido ao santuário". Assim, o povo foi impedido de trazer mais, pois o que já haviam recebido era mais que suficiente para realizar toda a obra.
(Êxodo 36:6/7)

O capítulo segue com a montagem da tenda. As bases, armações, cortinas, véus, bordados... Tudo descrito com uma grande riqueza de detalhes. Não deixe de conferir.

Salmos 86
Uma oração de Davi. Temos aqui um dos cinco salmos intitulado Tephillahs ou orações. Este salmo consiste de louvor bem como de súplica, mas é em todas as partes tão dirigido a Deus que é mais adequadamente chamado de "oração". Uma oração é nada menos, porém mais ainda uma oração por ter veias de louvor cursando por ele. Este salmo parece ter sido especialmente conhecido como sendo oração de Davi; assim como o salmo 90 é "a oração de Moisés". Davi o compôs e, sem dúvida, muitas vezes se expressou em linguagem parecida, tanto a matéria como as palavras combinando com suas variadas circunstâncias e expressando as diferentes características de sua mente. Em muitos respeitos se assemelha ao Sl 17.1-15, que leva o mesmo título, mas que em outros respeitos é bem diferente; as orações de um homem bom tem uma semelhança familiar, mas eles têm tantas diferenças quanto concordâncias. Com este salmo, podemos aprender que os grandes santos que viveram no passado oravam muito como nós fazemos hoje; os crentes de todos os tempos são de uma mesma espécie. O nome de Deus ocorre com grande freqüência neste salmo, às vezes sendo Jeová, mas, mais comumente, Adonai, que muitos estudiosos sábios crêem ter sido escrito pelos copistas judeus em vez do título mais sublime, porque seu medo supersticioso os levava a fazer assim: nós, que não lidamos com nenhum desses medos atormentadores, alegramo-nos em Jeová, nosso Deus. É interessante que aqueles que tanto temeram seu Deus, e que não ousavam escrever seu nome, tiveram tão pouco temor piedoso, que ousaram alterar sua palavra.
(Charles Spurgeon)

Atos 1
Há mais ou menos um mês, vimos aqui o Evangelho de Lucas. O livro de Atos é sua continuação, também escrito por Lucas em algum período entre o ano 60 e 70.
Ambos os livros são endereçados a um certo Teófilo,  que não sabemos quem é.

Teófilo é um nome próprio «derivado do grego Théophilos [de philos (amigo) e Theo (de Deus)] que significa"amigo de Deus", "amado por Deus", pelo latim Theophĭlu.

Ou seja. Teófilo somos nós, leitores cristãos. Os livros são endereçados à nós.

Logo no início temos a informação de que, após sua ressurreição, Jesus apareceu aos discípulos durante um período de quarenta dias, dando provas indiscutíveis de que estava vivo. Ele já havia deixado a eles a comissão de irem pelo mundo pregando o Evangelho, porém ele os instrui a permanecerem em Jerusalém por um pouco mais de tempo,  pois seriam batizados com o Espírito Santo. O que será isso? Perceba que, até aquele momento, os discípulos não têm uma noção exata de quem é Jesus. Eles ainda pensam ser ele o libertador político que vai tirar Israel das mãos dos romanos. Isso se confirma com a seguinte pergunta que é feita a Jesus:

Então os que estavam reunidos lhe perguntaram: "Senhor, é neste tempo que vais restaurar o reino a Israel?"
(Atos 1:6)

Jesus responde algo como: "olha... Não fiquem pensando nisso.  Quando vocês receberem o Espírito Santo, terão condições de serem minhas testemunhas."

E logo em seguida, ascendeu aos céus.

Em seguida os discípulos (agora conhecidos como apóstolos) se reúnem para escolher um substituto para Judas Iscariotes. O escolhido é Matias.

Leitura bíblica - dia 88

Êxodo 35
Começa a arrecadação para o estabelecimento do Tabernáculo, que serviria como uma espécie de Templo itinerante.

"Todos os israelitas que se dispuseram, tanto homens como mulheres, trouxeram ao Senhor ofertas voluntárias para toda a obra que o Senhor, por meio de Moisés, ordenou-lhes que fizessem."
(Êxodo 35:29)

Deus começa a distribuir dons ao povo, para que este cumpra com excelência aos Seus propósitos.

"A todos esses deu capacidade para realizar todo tipo de obra como artesãos, projetistas, bordadores de linho fino e de fios de tecido azul, roxo e vermelho, e como tecelões. Eram capazes para projetar e executar qualquer trabalho artesanal".
(Êxodo 35:35)

Salmos 85
O salmo é a oração de um patriota por seu país afligido, no qual ele pede as misericórdias anteriores do Senhor, e pela fé prevê dias mais claros. Cremos que Davi o escreveu, mas muitos questionam essa afirmação. Certos intérpretes parecem ter má vontade quanto a conceder que o salmista Davi seja autor de qualquer dos salmos, e se referem aos cantos sagrados indiscriminadamente aos tempos de Ezequias, Josias, o Cativeiro e os macabeus. Extraordinário é que, via de regra, quanto mais cético é um escritor, mais resoluto é ele concordar com Davi, enquanto os comentaristas puramente evangélicos, em sua maior parte, ficam contentes de deixar o poeta real na cátedra da autoria. Os encantos de uma nova teoria também operam grandemente por parte de escritores que nada teriam para dizer se não inventassem uma nova hipótese, e torcessem a linguagem do salmo a fim de justificá-la. O salmo presente tem sido, naturalmente, relacionado ao Cativeiro, pois os críticos não puderam resistir à tentação de fazer isso; embora, de nossa parte não vemos necessidade de fazê-lo. É verdade que um cativeiro é mencionado no Sl 85.1, mas isso não significa que a nação tenha sido levada ao exílio, visto que o cativeiro de Jó foi removido, e ele nunca saiu de sua terra natal; ademais, o texto fala do cativeiro de Jacó como terminado, ele trazido de volta; mas tivesse se referido à emigração babilônica, teria falado de Judá; porque Jacó ou Israel, como tal, não retornou. O primeiro versículo, ao falar da "terra" prova que o autor não era um exilado. Cremos, pessoalmente, que Davi escreveu esse hino nacional quando a terra esteve oprimida pelos filisteus, e no espírito de profecia ele predisse os anos de paz de seu próprio reinado e o repouso do governo de Salomão, o salmo tendo em todo o seu curso um sentido interno do qual Jesus e sua salvação são a chave. A presença de Jesus, o Salvador, reconcilia terra e céu, e nos assegura a idade de ouro, os balsâmicos dias de paz universal.
(Charles Spurgeon)

João 21
Pela terceira vez,  Jesus aparece aos seus discípulos após sua ressurreição. Por alguma razão, ele não é reconhecido logo de cara.
A história fecha um ciclo. Os discípulos estão em um dia de pesca ruim. Surge um homem que sugere: "jogue a rede do outro lado". E a rede volta repleta de peixes. João é o primeiro a reconhecê-lo. Todos se fartam com os peixes em uma fogueira à beira mar.

Depois de comerem, Jesus perguntou a Simão Pedro: "Simão, filho de João, você me ama realmente mais do que estes?" Disse ele: "Sim, Senhor, tu sabes que te amo". Disse Jesus: "Cuide dos meus cordeiros".
(João 21:15)

Essa pergunta se repete por mais duas vezes. Na terceira, Pedro fica magoado. Teria sido uma pergunta para cada vez que ele o havia negado?

João encerra seu Evangelho com a seguinte declaração:

"Jesus fez também muitas outras coisas. Se cada uma delas fosse escrita, penso que nem mesmo no mundo inteiro haveria espaço suficiente para os livros que seriam escritos."
(João 21:25)

Leitura bíblica - dia 87

Êxodo 34
Em sua fúria, por causa do bezerro de ouro que os israelitas haviam construído, Moisés destruiu as Tábuas da Lei dadas por Deus.  Agora, do alto do monte, o Senhor pede a Moisés que providencie novas tábuas pois Ele iria refazê-las.

Aqui temos um legítimo "apelo". Não o apelo que vemos hoje em dia nas igrejas, onde o homem "aceita" a Deus. Mas o verdadeiro apelo: onde o homem é que clama para que Deus o aceite:

"Senhor, se de fato me aceitas com agrado, acompanha-nos o Senhor. Mesmo sendo esse um povo obstinado, perdoa a nossa maldade e o nosso pecado e faze de nós a tua herança".
(Êxodo 34:9)

Deus então, refaz a aliança com o povo mediante a sua obediência, enfatizando Seu repúdio à idolatria a outros deuses, ídolos de escultura, acordos e casamentos com pessoas de outros povos e crenças. Pede observação às Suas festas, primícias, sacrifícios e à guarda do sétimo dia para descanso.

Depois de quarenta dias,  Moisés desce do monte já com as Tábuas da Lei. Seu rosto está resplandecente de tal forma que ele precisa usar um véu. Todos ficam admirados com isso.

Salmos 84
TÍTULO E ASSUNTO
Ao mestre dos músicos sobre Os Lagares. Um salmo para os filhos de Corá. Este salmo bem merecia ser confiado ao mais nobre dos filhos da hinologia. Nenhuma música poderia ser doce demais para seu tema, ou delicada demais no som para se comparar à beleza de sua linguagem. Mais doce do que a alegria do premer do vinho (pois este diz-se ser o sentido da palavra traduzida por Gittith), é a alegria das assembléias santas da casa do Senhor; nem mesmo os filhos favorecidos da graça, que são como os filhos de Corá, podem ter um assunto mais rico para cantar do que os festivais sagrados de Sião. Importa pouco quando foi escrito esse salmo, ou por quem; para nós, ele exala um perfume davídico, cheira às urzes, plantas dos montes, e aos lugares solitários desérticos, onde o rei Davi deve ter se alojado muitas vezes durante suas muitas guerras. Este poema sacro é um dos mais especiais da coleção; irradia um brilho suave, que faz merecer ser chamado A pérola dos salmos. Se o salmo 23 é o mais popular, o 103 o mais alegre, o 119 o mais profundamente experimental, o 51 o mais sentimental, este com certeza é um dos mais doces dos salmos de paz. Peregrinações ao tabernáculo eram um traço distintivo da vida judaica. Na Inglaterra, peregrinações ao santuário de Canterbury, e de Nossa Senhora de Walsingham, foram tão generalizadas a ponto de afetar toda a população, e determinar a construção de estradas, a construção de pensões, e a criação de uma literatura especial; isso pode nos ajudar a entender a influência da peregrinação sobre os antigos israelitas. Famílias viajavam juntas, formando grupos que cresciam em cada parada; acampavam em clareiras ensolaradas no meio de bosques nativos à beira dos caminhos; cantavam em uníssono ao longo das estradas, lutavam juntos para atravessar montes e brejos que aparecessem pela frente, e, na caminhada, acumulavam lembranças felizes que nunca seriam esquecidas. Se alguém fosse excluído da companhia santa dos peregrinos e do culto devoto da congregação, certamente encontraria neste salmo a expressão adequada para seu espírito pesaroso.

João 20
Domingo de Páscoa.
Segundo o relato de João, ele é o primeiro discípulo a chegar ao túmulo de Jesus, depois de Maria Madalena ter contado que o corpo não estava mais lá. Pedro teria ficado pra trás na correria. Se bem que Pedro foi o primeiro a entrar no sepulcro, enquanto João observava de fora. Viram, constataram e voltaram para casa,  enquanto Maria Madalena permaneceu por alí.  Ao olhar para dentro do túmulo, viu dois anjos sentados onde o corpo de Jesus estivera e logo depois avistou o próprio Jesus. A princípio pensou ser um jardineiro, mas em seguida o reconheceu. Ela foi avisar os outros.  Naquela mesma noite, Jesus apareceu a vários discípulos,  mostrando-lhes as feridas da crucificação.  Quando contatam isso para o discípulo Tomé, ele mandou o seu famoso "só acredito vendo". Uma semana depois, Jesus reaparece e desta vez é visto por Tomé.

"Então Jesus lhe disse: "Porque me viu, você creu? Felizes os que não viram e creram".
(João 20:29)

Leitura Bíblica Especial (sábado)

Livro de Joel
Vamos dar sequência ao nosso fim de semana especial lendo o livro inteiro do profeta Joel. São apenas três capítulos Joel foi um homem bondoso e afável. Não censura repreende como os outros profetas, mais implora e lamenta. Pretende tornar as pessoas bondosas com palavras boas e amistoas e preservá-las de danos e infortúnios.  Contudo, assim como a outros profetas, certamente lhe sucedeu que não creram em sua palavra e tiveram-no por um tolo

Leitura Bíblica Especial

Hoje vamos dedicar a nossa leitura tríplice a estes capítulos que narram a morte de Jesus e os momentos que a antecederam. Antes de começar, peça entendimento a Deus.

João 17
Esse é o tipo de capítulo que o cristão deve ler sempre. Não se deve fazer um resumo. Cada palavra é muito importante. Leia tudo. É a linda oração de Jesus, poucos minutos antes de ser preso. Ele ora por si e por seus discípulos, tanto por aqueles que estavam com ele alí, como por nós, cristãos de hoje.

"Eu rogo por eles. Não estou rogando pelo mundo, mas por aqueles que me deste, pois são teus."
(João 17:9)

"Minha oração não é apenas por eles. Rogo também por aqueles que crerão em mim, por meio da mensagem deles"
(João 17:20)

João 18
Após a sua oração, Jesus vai até o Jardim do Getsêmani.  É neste local que Judas aparece com a escolta que prende Jesus.  Pedro,  enfurecido,  corta a orelha de um soldado e prontamente é repreendido por Jesus. Eles o levam para ser interrogado pelo sumo sacerdote.  Jesus é esbofeteado por um dos guardas e em seguida é levado a Caifás e logo depois a Pilatos. Enquanto isso, Pedro nega conhecer Jesus aos que o questionam. Isso ocorre por três vezes.

João 19
Pilatos não havia achado razão para matar Jesus.  Mas os religiosos estavam irredutíveis.  Então foi ordenada a crucificação.  Antes porém, Jesus passou por todo tipo de deboche e zombaria. Pilatos insistia que os religiosos revissem sua decisão, mas de nada adiantou.
Carregando sua própria cruz, Cristo foi em direção ao Monte Calvário, onde dois ladrões também seriam crucificados. Foi Pilatos que escreveu a placa da cruz de Jesus, onde se lia em hebraico, latim e grego: JESUS NAZARENO, O REI DOS JUDEUS. Os religiosos não gostaram muito disso e queriam que Pilatos escrevesse qualquer outra coisa.  Mas ele disse: "o que escrevi,  escrevi."

Observe as seguintes passagens:

Tendo, pois, os soldados crucificado a Jesus, tomaram as suas vestes, e fizeram delas quatro partes, para cada soldado uma parte. Tomaram também a túnica; ora a túnica não tinha costura, sendo toda tecida de alto a baixo. Pelo que disseram uns aos outros: Não a rasguemos, mas lancemos sortes sobre ela, para ver de quem será (para que se cumprisse a escritura que diz: Repartiram entre si as minhas vestes, e lançaram sortes). E, de fato, os soldados assim fizeram.
(João 19:23-24)

Repartem entre si as minhas vestes, e sobre a minha túnica lançam sortes.
(Salmos 22:18)

Em seguida Jesus é morto e sepultado. Mas isto é uma simplificação banal. Leia o capítulo inteiro.

Leitura bíblica - dia 84

https://youtu.be/G4yhgild3hUhttps://youtu.be/G4yhgild3hUÊxodo 33

https://youtu.be/UXde7NzHuj0

Mesmo após o episódio do bezerro de ouro, Deus ordena que o povo siga para a terra prometida e promete mandar um anjo à frente e expulsar os inimigos do caminho. Porém, avisa que Ele próprio não estará mais com eles.

"Eu não irei com vocês, pois vocês são um povo obstinado, e eu poderia destruí-los no caminho".
(Êxodo 33:3)

Ao ouvir essas palavras, o povo chorou muito.

Moisés costumava montar uma tenda do lado de fora do acampamento a qual chamava Tenda do Encontro. Quando ele entrava, a coluna de nuvem descia e ficava à entrada da tenda, enquanto ele falava com Deus face a face.  Em um desses encontros, Moisés disse a Deus que não faria sentido continuar a viagem sem a Sua presença e que longe dEle, seriam como qualquer outro povo.
Deus disse então, que continuaria com eles por que se agradava de Moisés.

Entre os versículos 18 e 23 temos uma pequena idéia do que seria a Glória de Deus. Moisés pede para vê-la. O Senhor diz que a revelará em parte, mas preparará todo um esquema para que Moisés fique protegido enquanto isso acontece.

"Quando a minha glória passar, eu o colocarei numa fenda da rocha e o cobrirei com a minha mão até que eu tenha acabado de passar.
(Êxodo 33:22)

Salmos 83

https://youtu.be/dsZYX-U5LDc

Esta é a última ocasião em que nos encontraremos com este escritor eloqüente. O poeta patriótico canta de novo as guerras e os perigos iminentes, mas não é nenhum canto irreligioso de uma nação que não pensa e entra em guerra levianamente. Asafe, o vidente, tem consciência dos perigos sérios que surgem das poderosas nações confederadas, mas sua alma em fé se firma em Jeová, enquanto que como poeta pregador ele estimula seus conterrâneos à oração por meio deste poema lírico sacro. O Asafe que pôs no papel este canto muito provavelmente foi a pessoa a que se faz referência em 2Cr 20.14, pois a evidência interna relacionando o assunto do salmo aos tempos de Josafá é fortíssima. A divisão no acampamento dos povos confederados no deserto de Tecoa não só acabou com sua liga, mas levou a uma grande matança, o que prejudicou o poder de algumas das nações por muitos anos. Pensavam destruir Israel, e destruíram-se uns aos outros.
( Charles Spurgeon )

João 16

https://youtu.be/G4yhgild3hU

Em clima de despedida, Jesus profetiza o que havia de acontecer com aqueles discípulos e que ainda hoje continua acontecendo ao redor do mundo com os cristãos:

"Vocês serão expulsos das sinagogas; de fato, virá o tempo quando quem os matar pensará que está prestando culto a Deus. Farão essas coisas porque não conheceram nem o Pai, nem a mim.
(João 16:2-3)

Em seguida, Jesus anuncia aos discípulos que deveria ir para que viesse a eles o Espírito Santo.

Leitura bíblica - dia 83

Êxodo 32
O ser humano tem uma natureza idólatra e os hebreus estavam sedentos por algo a ser adorado,  enquanto Moisés recebia as instruções de Deus.

"O povo, ao ver que Moisés demorava a descer do monte, juntou-se ao redor de Arão e lhe disse: "Venha, faça para nós deuses que nos conduzam, pois a esse Moisés, o homem que nos tirou do Egito, não sabemos o que lhe aconteceu".
(Êxodo 32:1)

Interessante observar que Arão atendeu ao pedido do povo, no mesmo instante em que Deus passava instruções para Moisés fazer dele (Arão) o sacerdote e posteriormente toda sua descendência.

"Então todo o povo, tirando os pendentes de ouro que estavam nas suas orelhas, os trouxe a Arão; ele os recebeu de suas mãos, e com um buril deu forma ao ouro, e dele fez um bezerro de fundição. Então eles exclamaram: Eis aqui, ó Israel, o teu deus, que te tirou da terra do Egito. E Arão, vendo isto, edificou um altar diante do bezerro e, fazendo uma proclamação, disse: Amanhã haverá festa ao Senhor."
(Êxodo 32:3-5)

Furioso com a situação, Deus diz a Moisés que o povo se corrompeu e portanto seria destruído. Moisés intercede pelos israelitas e clama por misericórdia e é atendido.

"Temos que cuidar para não sermos mansos contra a honra e o mandamento de Deus. Pois está escrito acerca de Moisés que ele era o mais manso dos homens na face da terra.  Ainda assim, quando os judeus adoraram o bezerro de ouro e enfureceram a Deus,  Moisés matou muitos deles e com isso levou Deus novamente a conciliação. Assim,  não é cabível que fiquemos calados  quando a autoridade tira folga e deixa o pecado reinar."
(Martinho Lutero)

Salmos 82
Um salmo de Asafe. Este poeta do templo age aqui como um pregador para a corte e para a magistratura. Homens que fazem uma coisa bem, em geral, se prestam bem a outra; aquele que escreve bons versículos dificilmente não é capaz de pregar. Que pregação nos teria dado Milton se tivesse entrado no púlpito, ou se Virgílio tivesse sido um apóstolo.

O sermão de Asafe diante dos juízes está agora à nossa frente. Ele fala com muita clareza, e seu canto é mais caracterizado pela força do que pela doçura. Temos aqui uma prova clara de que não é preciso que todos os salmos e hinos sejam expressões diretas de louvor a Deus; podemos, de acordo com o exemplo deste salmo, admoestar um ao outro em nossas canções. Asafe sem dúvida viu em volta dele muito suborno e corrupção, e enquanto Davi punia-os com a espada, ele resolveu procurar corrigi-los com um salmo profético. Fazendo isso, o doce cantor não estava esquecendo sua profissão como músico do Senhor, mas antes o desempenhava de modo prático em outro departamento. Estava louvando a Deus quando repreendia o pecado que o desonrava, e se ele não fazia música, estava fazendo calar a discórdia quando mandou governantes dispensar justiça com imparcialidade.
(Charles Spurgeon)

João 15
Um bom vinhateiro não se contenta em ter uma boa videira e ramos verdadeiros.  Ele quer ter uma videira e ramos que produzam muito fruto. Por isso ele cuida de sua videira, limpa, poda e lhe remove as folhas em excesso. Ajuda-a e a cultiva para que ela se torne cada vez maior e produza sempre mais.  Isso só acontece se efetivamente ela for cuidada dessa maneira.  Deus faz o mesmo com cada cristão,  seja ele um pregador, um aluno ou um ouvinte. Deus não permite que ele fique ocioso, mas lhe envia tentações que o obrigam a exercitar sua fé,  deixando que o diabo e o mundo o acossem com perseguições externas e internas. Dessa maneira ele mantém os ramos limpos e os cultiva para que se tornem maiores e mais fortes.
(Martinho Lutero)

Leitura bíblica - dia 82

Êxodo 31
Nos recentes capítulos vimos Deus dando instruções para a construção do Tabernáculo, da Arca da Aliança,  do Altar, para a confecção das roupas dos sacerdotes e acessórios. Agora Ele capacita artistas com seu Espírito para que eles tenham destreza e habilidade para executar o trabalho com perfeição,  de acordo com a Sua vontade.

Ainda neste capítulo, Deus dá orientações a respeito do sábado.

"Os israelitas terão que guardar o sábado, eles e os seus descendentes, como uma aliança perpétua."
(Êxodo 31:16)

Salmos 81
TÍTULO
Ao mestre da música sobre Gittith. Muito pouco é conhecido sobre o sentido desse título. Neste trabalho, já demos a melhor explicação de que temos conhecimento em conexão com o salmo 8. Se for entendido como sendo um cântico da vindima, fala muito bem da piedade das pessoas para quem foi escrito; teme-se que em poucos lugares, mesmo em países cristãos, se consideraria apropriado os santos hinos serem cantados em conexão com a prensa do vinho. Onde os guisos dos cavalos serão santidade para o Senhor, então, o suco das uvas jorrará da prensa ao acompanhamento do canto sacro. Um salmo de Asafe. Esse poeta aqui medita novamente sobre a história de seu país; seu ponto forte parece ser passar em revista o passado em salmodia de admoestação. É um poeta da história e da política de Israel. Um verdadeiro cantor nacional, a um só tempo piedoso e patriótico.

DIVISÃO
Louvor é solicitado para se celebrar um dia memorável, talvez a Páscoa; com isso, o livramento do Egito é descrito em Sl 81.1-7. Depois, o Senhor gentilmente chama a atenção de seu povo por sua ingratidão, e retrata sua situação feliz, tivessem eles sido obedientes a seus mandados.
(Charles Spurgeon)

João 14

"Disse-lhe Tomé: "Senhor, não sabemos para onde vais; como então podemos saber o caminho?"
(João 14:5)

Os discípulos ainda não se deram conta, mas Jesus está se despedindo porque está prestes a ser crucificado. Reparem que neste ponto da história, eles parecem não entender muitas coisas. Ainda parecem confusos.

Outro exemplo disso é o pedido de Felipe:

"Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta."
(João 14:8)

Ao que Jesus responde:

"Há tanto tempo que estou convosco, e ainda não me conheces, Felipe? Quem me viu a mim, viu o Pai. Como dizes tu: Mostra-nos o Pai?"
(João 14:9)

Temos que entender que a percepção dos discípulos ainda estava incompleta porque  lhes faltava o principal: o Espírito Santo,  que só viria 50 dias após a ressurreição de Jesus, no dia de Pentecostes.

"Mas o Conselheiro, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, lhes ensinará todas as coisas e lhes fará lembrar tudo o que eu lhes disse."
(João 14:26)

Leitura bíblica - dia 81

Êxodo 30
Deus dá mais orientações para a construção do altar e para os sacrifícios. Perceba que para o perdão dos pecados (propiciação) sempre é necessário o derramamento de sangue, o que nitidamente aponta para Cristo.

"Uma vez por ano, Arão fará propiciação sobre as pontas do altar. Essa propiciação anual será realizada com o sangue da oferta para propiciação pelo pecado, geração após geração. Esse altar é santíssimo ao Senhor."
(Êxodo 30:10)

Salmos 80
Pela quarta vez, temos um cântico sobre os Shoshannim, ou os lírios; antes tivemos os salmos 45, 60 e 69. Por que este título lhe foi dado é difícil dizer em cada caso, mas a forma poética deliciosa do presente salmo pode bem justificar o título charmoso. Eduth significa testemunho. O salmo é um testemunho da igreja como um "lírio entre espinhos". Alguns estudiosos entendem que o título aqui se refira a um instrumento de seis cordas, e Schleusner traduz as duas palavras, "o hexacorde do testemunho". Poderá ser que uma futura pesquisa esclareça-nos esses "ditos escuros sobre uma harpa". Será um prazer aceitá-los como evidência de que o canto sagrado não era pouco estimado nos dias antigos. Um salmo de Asafe. Um Asafe posterior, vamos crer, que teve a infelicidade de viver, como o "último ministrel", em maus tempos. Se foi pelo Asafe do tempo de Davi, este salmo foi escrito com o espírito de profecia, pois canta sobre tempos que Davi não conheceu.
(Charles Spurgeon)

João 13
Jesus quer mostra-nos com seu exemplo o seguinte: como ele se desfaz de toda a sua glória, esquecendo-a e não a usando por honra, poder e pompa próprios, mas com ela serve os seus servos, que assim também procedamos nós: que não nos orgulhemos de nossos próprios dons nem os usemos para honra própria,  mas que com eles sirvamos de boa vontade ao próximo e os aproveitemos para seu benefício.
(Martinho Lutero)

Leitura bíblica - dia 80

Êxodo 29
Instruções para a ordenação de Arão, seus filhos e à partir deles, toda sua descendência como sacerdotes de Israel.

Salmos 79
Um salmo de Asafe. Um salmo de lamentação tal como Jeremias poderia ter escrito em meio às ruínas da cidade amada. É evidente que trata de tempos de invasão, opressão e destruição nacional. Asafe era um poeta patriota, e não se sentia mais à vontade do que quando repassava a história de sua nação. Pudera Deus que tivéssemos poetas nacionais cujo canto fosse sobre o Senhor.
(Charles Spurgeon)

João 12
Judas fica incomodado ao ver Maria,  irmã de Lázaro,  ungindo a Jesus com um caro perfume. Na opinião dele, aquela colônia poderia ter sido vendida em prol dos pobres.  Na verdade ele gostaria de desviar o dinheiro da venda do perfume, uma vez que ele era responsável pela administração do grupo.

Enquanto isso, os religiosos cogitavam a hipótese de matar Lázaro, pois tendo ele sido ressuscitado por Jesus, vinha servindo de testemunho vivo do poder de Cristo. Perceba, não apenas a incredulidade, mas o ódio que sentiam por Jesus. Alguns religiosos até criam nele, mas não se manifestavam com medo de serem expulsos da sinagoga. Ou seja, amavam mais a glória dos homens que a de Deus.  Por que isso?

"Porque Deus cegou os seus olhos e endureceu os seus corações, para que não vejam com os olhos nem entendam com o coração, nem se convertam, e eu os cure".
(João 12:40 e Isaías 6:10)

Este capítulo 12 ainda traz um trecho que é considerado um resumo do ensino de Jesus,  que está entre os versículos 44 e 50. Não deixe de ler.

Leitura bíblica - dia 79

Êxodo 28
Deus faz de Arão, sacerdote.  O mesmo com seus filhos e sua descendência.  Ordena que sejam preparadas roupas especiais para ele e passa instruções detalhadas de como seria essa roupa, cheia de detalhes e simbolismos, com tecidos especiais, ouro e pedras preciosas.

"Arão e seus filhos terão que vesti-los sempre que entrarem na Tenda do Encontro ou quando se aproximarem do altar para ministrar no Lugar Santo, para que não incorram em culpa e morram. "Este é um decreto perpétuo para Arão e para os seus descendentes."
(Êxodo 28:43)

Salmos 78
Maschil de Asafe. Este é corretamente denominado um salmo instrutivo. Não se trata apenas de uma recapitulação de eventos importantes da história israelita, mas pretende ser uma parábola que expõe a conduta e a experiência de crentes de todas as épocas. É uma prova singular do embotamento de mente de muitos professores que fazem objeção a sermões e exposições sobre as partes históricas da Escritura, como se elas não contivessem instrução em assuntos espirituais: fossem tais pessoas realmente iluminadas pelo Espírito de Deus, perceberiam que toda a Escritura é proveitosa, e corariam diante de sua própria tolice em subestimar qualquer porção do volume inspirado.

DIVISÃO
A unidade é mantida muito bem do começo ao fim, mas para a conveniência do leitor, podemos notar que Sl 78.1-8 pode ser visto como prefácio, expondo o objetivo do salmista na epopéia que ele escreve. Em Sl 78.9-41, o tema é Israel no deserto; então ocorre um relato sobre a bondade anterior do Senhor para com seu povo ao tirá-lo do Egito com pragas e maravilhas em Sl 78. 42-52. A história das tribos é retomada em Sl 78.53, e continua até Sl 78.66, quando chegamos ao tempo da remoção da arca para Sião e a transferência da liderança de Israel de Efraim para Judá, o que ocorre em canto de Sl 78.67-72.
(Charles Spurgeon)

João 11
Entre os versículos 1 e 44 está narrado o episódio da ressurreição de Lázaro, desde sua enfermidade até sua saída do túmulo ainda envolto em panos.  
Pelo visto esse milagre despertou ainda mais ódio nos religiosos.  Após uma reunião no Sinédrio, ficou resolvido que Jesus deveria morrer.

"Se o deixarmos, todos crerão nele, e então os romanos virão e tirarão tanto o nosso lugar como a nossa nação".
(João 11:48)

Assim, temporariamente,  Jesus se retirou para a região de Efraim, pois passou a ser perseguido em Jerusalém.

Leitura bíblica - dia 78

Êxodo 27
Instruções detalhadas para a construção do altar e do pátio do Tabernáculo.

Salmos 77
Um salmo de Asafe. Asafe era um homem de mente instruída e exercitada, e muitas vezes tocado por um tom melancólico; ele era pensativo, contemplativo, crente, mas havia nele um toque de tristeza, e isso transmitia um sabor forte a suas composições. Para acompanhá-lo com entendimento, é preciso ter trabalhado sobre as grandes águas, e ter sobrevivido às fortes ventanias do oceano Atlântico.

DIVISÃO
Se seguirmos o arranjo poético e fizermos as divisões nas Pausas, encontraremos o homem conturbado rogando em Sl 77.1-3, e depois o ouviremos lamentando e discutindo consigo mesmo em Sl 77.4-9. Em Sl 77.10-15, suas meditações correm em direção a Deus e, no final, ele parece, como em uma visão, contemplar as maravilhas do mar Vermelho e do deserto. A essa altura, como se perdido em êxtase, ele termina o salmo de modo abrupto, e seu efeito é muito surpreendente. O Espírito de Deus sabe quando parar de falar, que é mais do que sabem aqueles que, por amor a uma conclusão metódica, prolongam suas palavras até o cansaço. Talvez este salmo tenha tido o propósito de ser um prelúdio para o próximo, e, se for assim, o fecho repentino está explicado. O hino que temos à frente agora é para santos experientes somente, mas para eles será de raro valor como sendo uma transcrição de seus próprios conflitos interiores.
(Charles Spurgeon)

João 10

O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir.
(João 10:10)

Você também aprendeu que o versículo acima está falando do diabo?  Quem te ensinou? 

Não.  Jesus não está falando do diabo aqui. Está falando dos falsos pastores!

Leia o capítulo inteiro e perceberá que isso é muito claro.
→→→→→→→→→→→→→→→

O quinto ponto das Doutrinas da Graça trata da Perseverança dos Santos (ou Segurança Eterna). É o ensino bíblico de que não se perde a salvação. Jesus deixa isso bem claro:

"As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu as conheço, e elas me seguem; eu lhes dou a vida eterna, e jamais perecerão; e ninguém as arrebatará da minha mão.
Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai."
(João 10:27/29)

Leitura bíblica - dia 77

Êxodo 26
Neste capítulo, Deus dá as instruções para a construção do tabernáculo, ou seja, a cabana que iria abrigar a Arca da Aliança e seria a antecessora do que séculos mais tarde viria a ser o Templo.

Salmos 76
Ao mestre da música no Neginote. O regente do coral é instruído a executar este canto com o acompanhamento de instrumentos de corda. O mestre dos harpistas foi chamado para sua mais habilidosa arte de menestréis, e realmente o canto vale os mais doces sons que as cordas possam produzir. Um salmo ou canto de Asafe. O estilo e a matéria indicam a mão da mesma pessoa que escreveu o anterior, e é um arranjo feliz o que colocou os dois juntos. No salmo 75, a fé cantava vitórias que viriam, neste, canta-se triunfos já alcançados. Este salmo é um canto de guerra cheio de júbilo, uma exaltação ao Rei dos reis, o hino de uma nação teocrática ao seu soberano divino. Não há necessidade de marcarmos divisões num cântico em que a unidade está tão bem preservada.

João 9
O que fazer quando alguém rejeita a Deus em prol da religião? Quando negam o próprio Cristo em nome de costumes e tradições?
Pois aí está: Jesus cura um homem cego que costumava mendigar. Cuspindo na terra, ele faz um barro (matéria prima do primeiro homem) e passa nos olhos do cego, instruindo-o para que lave os olhos no tanque de Siloé. Ao proceder desta forma, o cego é curado. Linda história!  O grande problema é que tudo isso se deu em um sábado!

Os religiosos passam a interrogar o ex-cego. O diálogo chega a ser cômico:

-Quem fez isso? Quem te curou?
-Foi um homem chamado Jesus.
-Onde ele está?
-Não sei!

Alguns dos fariseus disseram: "Esse homem não é de Deus, pois não guarda o sábado". Mas outros perguntavam: "Como pode um pecador fazer tais sinais miraculosos?" E houve divisão entre eles.
(João 9:16)

Inconformados com a situação,  eles chegam a duvidar que o homem fôra cego e mandam chamar seus pais. Estes, tinham medo dos religiosos e já sabiam que não poderiam dar crédito a Jesus, ou seriam expulsos da sinagoga.

- Sim. Nosso filho nasceu cego.
- E como explicam que agora enxerga?
- Ora. Pergunte a ele. Já é bem crescido!

Então pela segunda vez, chamaram o homem que fora cego e lhe disseram:

- Para a glória de Deus, diga a verdade. Sabemos que esse homem é pecador".

- Não sei se ele é pecador ou não. Uma coisa sei: eu era cego e agora vejo!"

- Mas de que maneira ele te curou?

- Eu já lhes disse, e vocês não me deram ouvidos. Por que querem ouvir outra vez? Acaso vocês também querem ser discípulos dele?

Leitura bíblica - dia 76

Êxodo 25
Deus ordena a construção da Arca da Aliança e passa instruções minuciosas de como ela deveria ser confeccionada em cada detalhe. Da mesma forma como foi com a construção da Arca de Noé e como seria mais tarde na construção do Templo, nenhum detalhe passou desapercebido.

Salmos 75
Ao mestre da música. Eis aqui uma nobre obra para ele, pois o grito do salmo anterior está para ser ouvido, e o desafio dos inimigos de Israel é assumido pelo próprio Deus. Aqui a filha virgem de Sião despreza seu inimigo, e ri-se em zombaria dele. A destruição do exército de Senaqueribe é uma ilustração notável desse cântico sagrado. Al-taschith. Aqui temos outro dos salmos "não destrua", e o título talvez pretendesse ser um controle sobre a ferocidade natural dos oprimidos, ou um insulto ao inimigo selvagem, que aqui é amargamente ordenado para não destruir, porque a nação está bem consciente de que ele não pode. Aqui, em fé santa, a criança que mama brinca no buraco da víbora, e a desmamada põe a mão no covil da serpente. Um salmo ou canto de Asafe. Para ser lido ou cantado. Um hino a Deus e um cântico para seus santos. Feliz o povo que tendo encontrado o poeta Milton em Davi teve um compositor de canto quase igual em Asafe: mais feliz ainda, porque esses poetas não foram inspirados por fontes terrenas castelãs, e sim beberam "da fonte de toda bênção".
(Charles Spurgeon)

João 8
Os religiosos trazem uma mulher flagrada em adultério. Sabendo muito bem que a Lei de Moisés prevê apedrejamento para casos como esse, levam-na para ser julgada por Jesus, não para saberem o que fazer com ela (porque já sabiam), mas sim para pegarem Jesus em alguma falha. Mas na final é Jesus que acaba evidenciando a falha de todos alí.

Leitura bíblica - dia 75

Êxodo 24
Os capítulos 20,21,22 e 23 de Êxodo,  representam o "Livro da Aliança".  Neste capítulo 24, após falar com Deus,  Moisés desce do monte e lê o livro ao povo, que se compromete a fazer tudo o que o Senhor ordenou, sabendo que dessa forma, Ele lhes seria sempre favorável.
Deus volta a chamar Moisés para o alto do monte para lhe dar as Tábuas da Lei. Moisés leva junto seu ajudante Josué e deixa Hur e Arão tomando conta do povo. Quando Moisés subiu, a nuvem cobriu o monte. Passaram seis dias e no sétimo, Deus chamou Moisés para dentro da nuvem.  Ele permaneceu lá por 40 dias.

Salmos 74
Um salmo instrutivo de Asafe. A história da igreja sofredora é sempre edificante; quando vemos como os fiéis confiaram em Deus e lutaram com ele em tempos de muita aflição, aprendemos como devemos nos comportar em circunstâncias semelhantes; aprendemos também que, quando nos acontece uma provação de fogo, nenhuma coisa tão estranha nos aconteceu; é que nós estamos seguindo no trilho da hoste de Deus.
(Charles Spurgeon)

João 7
Pois essa ida ao Pai outra coisa não é senão que ele dá a si mesmo em sacrifício para efetuar pagamento pelos pecados por meio do derramamento de seu sangue e sua morte. E depois disso, em sua ressurreição, sai vitorioso e tem domínio sobre o pecado, a morte e o inferno,  e vivo, assenta-se a direita do Pai, onde de forma invisível sobre tudo o que há nos céus e na terra. Por meio da pregação do Evangelho,  congrega e estende sua cristandade e, qual mediador eterno e sumo sacerdote, representa os crentes junto ao Pai e por eles intercede,  pois esses ainda se acham em meio a fraqueza e ao pecado. Além disso, ele concede a força e o poder do Espírito Santo para que o pecado, o diabo e a morte possam ser vencidos.  (Martinho Lutero sobre João 7:33)

Leitura bíblica - dia 74

Êxodo 23
Leis sobre deveres dos juízes,  sobre falso testemunho,  instituição de festas e períodos de descanso.
Deus também promete a posse da terra e diz que enviará um Anjo para guiá-los. Ordena que o povo não se rebele contra o Anjo, pois nele está o Seu Nome.

Salmos 73
Um salmo para Salomão. Os melhores lingüistas afirmam que isso deveria ser traduzido como de ou por Salomão. Não há base suficiente para essa tradução. É quase certo que o título declara Salomão ser o autor do salmo, contudo de acordo com Sl 72.20 parece que Davi o pronunciou em oração antes dele morrer. Com alguma reserva, sugerimos que o espírito e a matéria do salmo são de Davi, mas ele estava perto demais de seu fim para escrever as palavras, ou colocá-las em forma. Salomão, então, pegou o cântico de seu pai que estava à morte, deu-lhe feitio em bons versículos, sem roubar de seu pai, fez o salmo dele próprio. Chegamos à conjectura de que é a Oração de Davi, mas o salmo de Salomão. Jesus é retratado aqui, fora de dúvida, na glória de seu reino, tanto na posição em que está agora, como quando revelado na gloria daquele dia futuro.
(Charles Spurgeon)

João 6
O segundo ponto das Doutrinas da Graça trata da Eleição Incondicional e o quinto, sobre a Perseverança dos Santos (ou Segurança Eterna. O ensino bíblico de que não se perde a salvação). Temos esses dois pontos bem evidentes neste capítulo.

Ao contrário do que a religião ensina de cem anos para cá, não é o homem que escolhe a Deus, mas de acordo com a Bíblia, Deus é quem escolhe o homem. Se por um lado,  ninguém vai ao Pai, senão por Jesus (João 14:6), por outro, ninguém vai a Jesus se o Pai não o trouxer. Veja as passagens abaixo. Todas evidenciam o segundo e o quinto pontos da Doutrina da Graça:

"Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora."
(João 6:37)

"E a vontade do que me enviou é esta: Que eu não perca nenhum de todos aqueles que me deu, mas que eu o ressuscite no último dia."
(João 6:39)

"Porquanto esta é a vontade de meu Pai: Que todo aquele que vê o Filho e crê nele, tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia."
(João 6:40)

"Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou não o trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia."
(João 6:44)

"E continuou: Por isso vos disse que ninguém pode vir a mim, se pelo Pai lhe não for concedido."
(João 6:65)

Tente expôr essa verdade bíblica e certamente você será hostilizado.  Principalmente por pessoas que têm aprendido o contrário disso em suas religiões. A verdade é que o ser humano é orgulhoso de si próprio e quando você diz que a decisão é de Deus, você está mexendo com aquilo que a pessoa tem de mais valioso, que é o seu ego. Mas não estranhe!  O ser humano já era assim na época de Jesus:

"Por causa disso muitos dos seus discípulos voltaram para trás e não andaram mais com ele."
(João 6:66)

Leitura bíblica - dia 73

Êxodo 22
Mais um capítulo que trata de aspectos da vida social,  compensações por perdas e danos, propriedades e leis civis e religiosas.

Salmos 72
Não há título nenhum neste salmo, e, por isso, há quem ache que o salmo 70 pretendia ser um prelúdio deste e que foi separado dele. Tais idéia não têm valor para este nosso estudo. Já encontramos cinco salmos sem título, que são, mesmo assim, tão completos como aqueles que os têm. Temos aqui O SALMO DO CRENTE IDOSO, que em santa confiança de fé, fortalecido por longa e extraordinária experiência, roga contra seus inimigos e pede mais bênçãos para si. Já antecipando uma resposta graciosa, ele promete magnificar grandemente o Senhor.
(Charles Spurgeon)

João 5
Jesus cura um paralítico que estava próximo a um tanque do Templo buscando por um milagre. Ele sofria há trinta e oito anos com essa deficiência. Ao ser curado o homem milagrosamente pega sua maca e sai andando. Os religiosos porém, estão mais preocupados com um outro detalhe: É sábado e aquele homem não poderia estar carregando sua maca! Quando descobriram que Jesus havia curado uma pessoa num sábado,  passaram a persegui-lo. Em sua defesa,  Jesus disse que, apesar de ser um sábado, seu Pai (Deus) continua a trabalhar. Por isso, ele também está trabalhando.

"Por essa razão, os judeus mais ainda queriam matá-lo, pois não somente estava violando o sábado, mas também estava até mesmo dizendo que Deus era seu próprio Pai, igualando-se a Deus. "
(João 5:18)

Leitura bíblica - dia 72

Êxodo 21
Olho por olho, dente por dente.
Deus entrega a Moisés, algumas leis sobre servos e sobre punição a crimes. É instituída a pena de morte.
"Quem ferir um homem, vindo a matá-lo, terá que ser executado."
(Êxodo 21:12)

"Quem agredir o próprio pai ou a própria mãe terá que ser executado."
(Êxodo 21:15)

"Aquele que seqüestrar alguém e vendê-lo ou for apanhado com ele em seu poder, terá que ser executado."
(Êxodo 21:16)

Salmos 71
Não há título nenhum neste salmo, e, por isso, há quem ache que o salmo 70 pretendia ser um prelúdio deste e que foi separado dele. Tais idéia não têm valor para este nosso estudo. Já encontramos cinco salmos sem título, que são, mesmo assim, tão completos como aqueles que os têm. Temos aqui O SALMO DO CRENTE IDOSO, que em santa confiança de fé, fortalecido por longa e extraordinária experiência, roga contra seus inimigos e pede mais bênçãos para si. Já antecipando uma resposta graciosa, ele promete magnificar grandemente o Senhor.

Os primeiros quatro versículos são o grito da fé por socorro, os próximos quatro são um testemunho de experiência. Em Sl 71.9-13, o santo ancião suplica contra seus inimigos, e depois se regozija em esperança, Sl 71.14-16. Volta a orar em Sl 71.17-18, repete as esperanças confiantes que alegraram sua alma, Sl 71.19-21, e então conclui com a promessa de abundar em ações de graças. Em todo ele, este salmo pode ser visto como vocalização de uma fé que se esforça, mas nunca vacila.
(Charles Spurgeon)

João 4
O quarto ponto das Doutrinas da Graça trata do Chamado Eficaz (ou Graça Irresistível).

A mulher samaritana, a princípio foi indiferente a Jesus(11). Depois contestou Sua grandeza (12). Depois foi irônica e debochada (15). Depois se mostrou admirada (19). Depois expôs sua dúvida ao mestre (20). Mas quando Jesus realmente quis se revelar (26), ela não apenas creu, como contou a todos (29). Essas pessoas, mais tarde comprovaram que Jesus se tratava do Messias:

E disseram à mulher: "Agora cremos não somente por causa do que você disse, pois nós mesmos o ouvimos e sabemos que este é realmente o Salvador do mundo".
(João 4:42)

Temos aqui um claro exemplo de um coração de pedra sendo transformado por Cristo.
Ninguém abre seu coração para Deus. O próprio Deus é que realiza essa obra, por Sua Graça. Veremos isso com bastante clareza depois de amanhã, no capítulo 6 e mais adiante no livro de Atos com o exemplo de Lídia:

"E uma certa mulher, chamada Lídia, vendedora de púrpura, da cidade de Tiatira, e que servia a Deus, nos ouvia, e o Senhor lhe abriu o coração para que estivesse atenta ao que Paulo dizia."
(Atos 16:14)

Leitura bíblica - dia 71

Êxodo 20
Neste capítulo Deus entrega ao povo seus 10 mandamentos:

1º “Não terás outros deuses diante de mim.”

2º “Não farás para ti imagem esculpida, nem figura alguma do que há em cima no céu, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás diante delas, nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam e uso de misericórdia com milhares dos que me amam e guardam os meus mandamentos.”

3º “Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão; porque o Senhor não terá por inocente aquele que tomar o seu nome em vão.”

4º “Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás, e farás todo o teu trabalho; “mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus. Nesse dia não farás trabalho algum, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o estrangeiro que está dentro das tuas portas. Porque em seis dias fez o Senhor o céu e a terra, o mar e tudo o que neles há, e ao sétimo dia descansou; por isso o Senhor abençoou o dia do sábado, e o santificou.”

5º “Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá.”

6º “Não matarás.”

7º “Não adulterarás.”

8º “Não furtarás.”

9º “Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.”

10º “Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo.”

Salmos 70
Ao mestre da música, um salmo de Davi. Até aí o título corresponde ao salmo 40, do qual é uma cópia com variações. Davi parece ter escrito o salmo por extenso, e também ter feito esta parte extraída dele, alterada para combinar com a ocasião. É um bom apêndice para o salmo 69, e um prefácio adequado para o salmo 71. Para trazer à memória. Este é o memorial do homem pobre. Davi, pessoalmente, implora a Deus para que ele não seja esquecido, mas o Senhor de Davi pode ser ouvido aqui também. Mesmo que pareça que o Senhor nos esqueceu, nós não devemos nos esquecer dele. Este salmo memorial age como elo entre os dois salmos de discussão suplicante, e com eles forma uma preciosa tríade de canto.
(Charles Spurgeon)

João 3
Doutrina da Graça:  Homem nenhum consegue cumprir a lei de Deus. Por isso Jesus Cristo morreu na cruz.  Para pagar a dívida daqueles que crêem nele. Crer em Cristo não é apenas acreditar em sua existência,  mas reconhecer que não temos condições de chegar até Deus por outra via, e que Ele é a nossa única esperança.

Veja o versículo a seguir. Muito conhecido mas pouco compreendido:

"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. "
(João 3:16)

- Se você pudesse se salvar através das suas boas obras, Deus não precisaria enviar seu Filho para morrer.

-Todos serão salvos?  Não!  Apenas os que crerem em Cristo.

Leitura bíblica - dia 70

Êxodo 19
No dia em que se completaram três meses que os israelitas haviam saído do Egito, chegaram ao deserto do Sinai. Deus avisa a Moisés que dali há três dias, desceria pessoalmente ao monte e estabelece algumas normas para que o povo esteja purificado para a ocasião. Ao amanhecer do terceiro dia houve trovões e raios, uma densa nuvem cobriu o monte, e uma trombeta ressoou fortemente. Todos no acampamento tremeram de medo.

"O monte Sinai estava coberto de fumaça, pois o Senhor tinha descido sobre ele em chamas de fogo. Dele subia fumaça como que de uma fornalha; todo o monte tremia violentamente"
(Êxodo 19:18)

Salmos 69
Este salmo consiste de duas partes de dezoito versículos cada. Estes podem ser subdivididos novamente em três partes. Sob o primeiro subtítulo, Sl 69.1-4, o sofredor desdobra sua queixa diante de Deus; depois suplica que seu zelo por Deus é a causa de seus sofrimentos, em Sl 69.5-12; e isso o incentiva a rogar por auxílio e livramento, em Sl 69.13-18. Na segunda parte do salmo, ele detalha a conduta injuriosa de seus adversários, em Sl 69.19-21, clama por serem castigados, Sl 69.22-28, e então volta a orar, e isso numa antecipação feliz de que haverá interposição divina e os seus resultados, Sl 69.29-36.

João 2
Jesus realiza seu primeiro sinal miraculoso em uma festa de casamento na Galiléia.  O vinho havia acabado, o que transformaria a festa em um grande fiasco, mas Jesus transformou água em vinho.  Logo em seguida, ao ver comerciantes usando o Templo para ganhar dinheiro, expulsa a todos, munido de um chicote, dizendo:

"Tirem estas coisas daqui! Parem de fazer da casa de meu Pai um mercado!"
(João 2:16)

Muitos observavam a Jesus e criam nele. Mas ele próprio não confiava nessas pessoas. Essa passagem nos faz refletir sobre o primeiro ponto das Doutrinas da Graça: a depravação total do ser humano.

"Ora, estando ele em Jerusalém pela festa da páscoa, muitos, vendo os sinais que fazia, creram no seu nome. Mas o próprio Jesus não confiava a eles, porque os conhecia a todos, e não necessitava de que alguém lhe desse testemunho do homem, pois bem sabia o que havia no homem."
(João 2:23/25)

Leitura bíblica - dia 69

Êxodo 18
Zípora, a esposa de Moisés,  assim como seus filhos Gerson e Eliézer, estavam hospedados na casa de Jetro, sogro de Moisés, durante todo o processo da saída do Egito. Agora todos se reencontram. Jetro fica muito feliz ao saber de toda a história e faz uma declaração que confirma a idéia de que cada praga do Egito teve o propósito de desmoralizar um de seus deuses:

"Agora sei que o Senhor é maior do que todos os outros deuses, pois ele os superou exatamente naquilo de que se vangloriavam".
(Êxodo 18:11)

Moisés passava horas e horas julgando as questões do povo.
Seu sogro lhe perguntou sobre essa tarefa e Moisés respondeu:

"Toda vez que alguém tem uma questão, esta me é trazida, e eu decido entre as partes, e ensino-lhes os decretos e leis de Deus".
(Êxodo 18:16)

Jetro opinou dizendo que isso não era uma boa coisa,  pois levaria Moisés a exaustão. Propôs então que ele escolhesse dentre todo o povo homens capazes, tementes a Deus, dignos de confiança e inimigos de ganho desonesto e os pusesse como chefes de mil, de cem, de cinqüenta e de dez.

Assim eles estariam sempre à disposição do povo para julgar as questões e levariam a Moisés apenas as questões difíceis. As mais simples decidiram sozinhos.
O conselho foi aceito e Jetro voltou para sua terra.

Salmos 68
Ao mestre da música, um salmo ou canto de Davi. Já falamos o bastante sobre esse título quando tratamos dos salmos 65 e 66. Este é obviamente um cântico para ser cantado na remoção da arca e, com toda certeza, foi usado quando Davi a levava com alegria santa da casa de Obede-Edom para o lugar preparado no Monte Sião. É um hino que comove a alma. Os primeiros versículos foram muitas vezes o hino de batalha das lutas político-religiosas nas Ilhas Britânicas envolvendo perseguição e vindicações da Reforma. E todo o salmo retrata de modo adequado os caminhos do Senhor Jesus entre os seus santos, e sua ascensão à glória. O salmo é, ao mesmo tempo, excelente e difícil. Em alguns versículos, sua escuridão é totalmente impenetrável. Bem falou um crítico alemão ao se referir a ele como um Titã difícil de domar. Nossa reduzida erudição nos tem falhado e, por isso, temos seguido um Guia mais seguro. Confiamos, no entanto, que nossos pensamentos não deixam de ser proveitosos.
(Charles Spurgeon)

João 1
O primeiro capítulo do Evangelho de João é o mais nítido texto bíblico sobre a divindade de Jesus Cristo.

"No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
Ele estava no princípio com Deus.
Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez.
Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens;
E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai."
(João 1:1-4 e 14)

A Trindade, ou seja, o fato de Deus ser apenas um, porém manifesto em três (Pai, Filho e Espírito Santo), é algo que de fato não cabe em nossas mentes limitadas e corrompidas pelo pecado.

Ou nos conformamos com isso, ou fazemos como a seita das Testemunhas de Jeová,  que vivem para negar a Trindade, chegando ao ponto de alterar grosseiramente o texto de João 1 em suas bíblias (Novo Mundo). Na versão deles, a frase "o Verbo era Deus" foi substituída por "o verbo era um deus". Assim mesmo, com letra minúscula. Ora, sabemos que sempre que aparece um "deus " com d minúsculo na Bíblia, é referente a um falso deus. Como explicar então que esse deus se fez carne (versículo 14) e que todo o restante da bíblia o exalta? No mínimo é uma seita incoerente.

Leitura bíblica - dia 68

Êxodo 17
Os israelitas continuam sua caminhada e, estando mais uma vez sem água, se queixam a Moisés: "por que nos tirou do Egito? Quer nos matar? O Senhor está entre nós ou não? Mimimi..."

Então Moisés clamou ao Senhor: "Que farei com este povo? Estão a ponto de apedrejar-me!"
(Êxodo 17:4)

Deus orienta Moisés a bater com seu cajado em uma rocha específica. A água começa a verter da rocha, saciando a sede do povo.

Depois disso os amalequitas vieram atacar os israelitas.  Moisés orienta a Josué para organizar homens e lutar contra os amalequitas, enquanto ele ficaria do alto da colina com os braços abertos.  E assim foi. Num evidente prenúncio da cruz de Cristo, enquanto Moisés permanecia com os braços abertos o povo de Deus vencia a batalha.  Quando Moisés, por causa do cansaço, abaixava os braços,  o povo de Deus perdia. 

Quando as mãos de Moisés já estavam cansadas, eles pegaram uma pedra e a colocaram debaixo dele, para que nela se assentasse. Arão e Hur mantinham erguidas as mãos de Moisés, um de cada lado, de modo que as mãos permaneceram firmes até o pôr-do-sol.
(Êxodo 17:12)

Perceba a Jesus Cristo nesta passagem acima.

Salmos 67
Ao mestre da música. Quem ele era não importa, e quem nós somos também tem pouca importância, contanto que o Senhor seja glorificado. Em Neginote, ou em instrumentos de cordas. Este é o quinto salmo intitulado desta forma, e, sem dúvida, como os demais, devia ser cantado com o acompanhamento de "harpistas tocando em suas harpas". Não oferece o nome do autor, mas seria ousadia tentar provar que não seja Davi quem o escreveu. Teríamos que fazer um grande esforço se resolvêssemos procurar outro autor para ser pai dessas odes que estão em pé de igualdade e familiaridade com as que são atribuídas a Davi. Um salmo ou canto. Solenidade e vivacidade estão unidos aqui. Um salmo é um canto, mas nem todos os cantos são salmos: este é tanto canto como salmo.
(Charles Spurgeon)

Lucas 24
Chegamos ao último capítulo do Evangelho de Cristo Segundo Lucas.

As mulheres (Joana,  Maria Madalena,  Maria mãe de Tiago e algumas outras) vão até o sepulcro mas Jesus não está mais lá.  Dois anjos aparecem e dizem que ele ressuscitou, lembrando que o próprio Jesus disse que isso aconteceria.  Elas contam aos onze discípulos mas eles não acreditam. Pedro, no entanto, foi conferir de perto e ficou admirado ao constatar que o túmulo estava vazio. Naquele mesmo dia Jesus apareceu a dois discípulos que voltavam para Emaús. Caminhou e conversou com eles, mas não o reconheceram. Apenas depois de cearem juntos, Jesus se deu a conhecer e logo em seguida desapareceu. Imediatamente eles voltaram para Jerusalém para contar aos outros.  Enquanto contavam, Jesus apareceu entre eles. A princípio ficaram com medo, pensando se tratar de um espírito.  Até hoje,  os kardecistas "ensinam" que Jesus não reapareceu carnalmente, mas em espírito.  Ora, não é o que o próprio Jesus diz:

"Vejam as minhas mãos e os meus pés. Sou eu mesmo! Toquem-me e vejam; um espírito não tem carne nem ossos, como vocês estão vendo que eu tenho".
(Lucas 24:39)

E se ainda havia alguma dúvida à esse respeito, ele comeu um belo peixe na presença deles.

Nessa mesma ocasião, pouco antes de subir ao céu, Jesus lhes abre o entendimento para que compreendam as Escrituras. 

Perceba que também dependemos da ação de Deus para que possamos entender. Se você não entende a Bíblia como um todo, ou alguma passagem específica,  seja humilde e clame a Deus por entendimento.

"Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida."
(Tiago 1:5)

Leitura bíblica - dia 67

Êxodo 16
Apenas um mês e meio após a épica e gloriosa saída do Egito, o povo começa a reclamar pesadamente a Moisés:

"Disseram-lhes os israelitas: "Quem dera a mão do Senhor nos tivesse matado no Egito! Lá nos sentávamos ao redor das panelas de carne e comíamos pão à vontade, mas vocês nos trouxeram a este deserto para fazer morrer de fome toda esta multidão!"
(Êxodo 16:3)

Deus ouviu as queixas do povo e mostrou-lhes sua providência:

"...ao pôr-do-sol vocês comerão carne, e ao amanhecer se fartarão de pão. Assim saberão que eu sou o Senhor seu Deus".
(Êxodo 16:12)

Então a cada dia no final da tarde, apareciam várias codornas onde estavam acampados. Ao amanhecer havia uma camada de orvalho ao redor do acampamento que ao secar se transformavam em um tipo de pão que o povo chamou de maná. Deus orientou para que não estocassem esse pão para o dia seguinte, pois no dia seguinte haveria mais. Quem duvidou disso e estocou o pão, percebeu que ele se estragava de um dia para o outro.Assim, todos se fartavam de carne e pão, na justa medida a cada dia.

Salmos 66
Louvor é seu tópico e os assuntos para se cantar são as grandes obras do Senhor, seus benefícios graciosos, seus livramentos fiéis, e todos os seus procedimentos com seu povo, com o fechamento de um testemunho pessoal de bondade especial recebida pelo próprio profeta músico. Os versículos de 1 a 4 são uma espécie de hino introdutório, convocando todas as nações para louvarem a Deus, e ditando para eles as palavras de um canto adequado. Em Sl 66.5-7, convida-se o espectador a "vir e ver" as obras do Senhor, chamando a atenção para o mar Vermelho, e talvez para a passagem do Jordão. Isso sugere a posição similar do povo afligido que é descrito, e seu resultado feliz predito, Sl 66.8-12. O cantor, então, passa a falar na primeira pessoa, e confessa o que ele próprio deve ao Senhor (Sl 66.13-15); e, num rompante veemente "venham e ouçam", declara com ações de graças o favor especial do Senhor para consigo próprio, Sl 66.16-20.
(Charles Spurgeon)

Lucas 23
Jesus é levado a Pilatos. Este fica sabendo que Jesus é da Galiléia, que estava sob jurisdição de Herodes, e o envia para ele.  Herodes zomba de Jesus,  o veste com um manto esplêndido e o envia de volta para Pilatos.  Aliás, os dois até começam uma amizade nessa ocasião. Pilatos não consegue achar nenhuma culpa em Jesus e mostra não ter a intenção de aplicar-lhe a pena de morte. Mas por outro insistência dos religiosos e seus seguidores, acaba cedendo para não criar intrigas.
Jesus sofre todo tipo de zombaria. As autoridades o ridicularizavam.
Em resposta a todo esse sofrimento e humilhação, Jesus clama:

"Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo".
(Lucas 23:34)

Essa é uma amostra da perfeita obra de Cristo, pois constatamos que apenas ele foi capaz de amar o próximo como a si mesmo.  Abençoar e perdoar àqueles que estavam aniquilando seu corpo e zombando de sua situação.  Ninguém neste mundo teria uma atitude semelhante numa situação dessas.

O capítulo segue com a morte e sepultamento de Jesus.