Leitura bíblica - dia 65

Êxodo 14
Deus torna a endurecer o coração do Faraó. Ao saber que o povo hebreu havia fugido, o líder egípcio se dá conta de que perdera seus escravos,organiza todo seu exército e sai na captura dos Israelitas. Quando os alcança, deixa os hebreus encurralados, pois eles ficam sem ter pra onde correr, já que têm apenas o mar à sua frente. Moisés ouve o murmúrio do povo, que já parece ter se esquecido dos milagres da Páscoa:

"...e disseram a Moisés: Foi porque não havia sepulcros no Egito que de lá nos tiraste para morrermos neste deserto? Por que nos fizeste isto, tirando-nos do Egito? Não é isto o que te dissemos no Egito: Deixa-nos, que sirvamos aos egípcios? Pois melhor nos fora servir aos egípcios, do que morrermos no deserto."
(Êxodo, 14:11-12)

O que se segue é a história que todos conhecem.  Uma das mais impressionantes passagens bíblicas. O mar se abre para os Israelitas e depois se fecha, matando os egípcios. Esse é um daqueles pontos que deixam um crente ainda mais crente e um ateu ainda mais ateu. Por um lado, parece ser uma história da Disney. Por outro lado, já foram encontradas evidências arqueológicas de que isso realmente aconteceu. E ainda há uma terceira via, daqueles que não precisam de provas para crer, afinal, de acordo com a Bíblia, a fé é a certeza de coisas que não são visíveis. De uma forma ou de outra, aquele povo presenciou algo tremendo, espetacular, sem paralelos na história até então.

"Israel viu o grande poder do Senhor contra os egípcios, temeu ao Senhor e pôs nele a sua confiança, como também em Moisés, seu servo."
(Êxodo 14:31)

Veremos à frente porém, que essa empolgação toda não duraria muito e o povo voltaria a amaldiçoar Moisés e murmurar coisas do tipo
"deveríamos ter ficado no Egito, mimimi..."

Salmos 64
Ao mestre da música. O dirigente do coro, por enquanto, está encarregado deste cântico. Seria ótimo se os músicos principais de todas as nossas igrejas apreciassem seu dever com a solenidade, pois não é pouca coisa ser chamado para dirigir o canto sacro do povo de Deus, e a responsabilidade é grande. Um salmo de Davi. Sua vida foi de conflitos e, poucas vezes, ele termina um salmo sem mencionar seus inimigos; neste caso, seus pensamentos estão totalmente ocupados com oração contra eles.
(Charles Spurgeon)

Lucas 21
Os discípulos ainda estão fascinados com a beleza física do Templo de Herodes, e Jesus quebra o clima com várias profecias sobre a destruição de Jerusalém, que aconteceria cerca de quarenta anos depois. Profetizou também sobre o fim dos tempos e sobre a perseguição que seus discípulos sofreriam, tanto da sociedade como das próprias famílias.

"Todos odiarão vocês por causa do meu nome."
(Lucas 21:17)