Leitura bíblica - dia 67

Êxodo 16
Apenas um mês e meio após a épica e gloriosa saída do Egito, o povo começa a reclamar pesadamente a Moisés:

"Disseram-lhes os israelitas: "Quem dera a mão do Senhor nos tivesse matado no Egito! Lá nos sentávamos ao redor das panelas de carne e comíamos pão à vontade, mas vocês nos trouxeram a este deserto para fazer morrer de fome toda esta multidão!"
(Êxodo 16:3)

Deus ouviu as queixas do povo e mostrou-lhes sua providência:

"...ao pôr-do-sol vocês comerão carne, e ao amanhecer se fartarão de pão. Assim saberão que eu sou o Senhor seu Deus".
(Êxodo 16:12)

Então a cada dia no final da tarde, apareciam várias codornas onde estavam acampados. Ao amanhecer havia uma camada de orvalho ao redor do acampamento que ao secar se transformavam em um tipo de pão que o povo chamou de maná. Deus orientou para que não estocassem esse pão para o dia seguinte, pois no dia seguinte haveria mais. Quem duvidou disso e estocou o pão, percebeu que ele se estragava de um dia para o outro.Assim, todos se fartavam de carne e pão, na justa medida a cada dia.

Salmos 66
Louvor é seu tópico e os assuntos para se cantar são as grandes obras do Senhor, seus benefícios graciosos, seus livramentos fiéis, e todos os seus procedimentos com seu povo, com o fechamento de um testemunho pessoal de bondade especial recebida pelo próprio profeta músico. Os versículos de 1 a 4 são uma espécie de hino introdutório, convocando todas as nações para louvarem a Deus, e ditando para eles as palavras de um canto adequado. Em Sl 66.5-7, convida-se o espectador a "vir e ver" as obras do Senhor, chamando a atenção para o mar Vermelho, e talvez para a passagem do Jordão. Isso sugere a posição similar do povo afligido que é descrito, e seu resultado feliz predito, Sl 66.8-12. O cantor, então, passa a falar na primeira pessoa, e confessa o que ele próprio deve ao Senhor (Sl 66.13-15); e, num rompante veemente "venham e ouçam", declara com ações de graças o favor especial do Senhor para consigo próprio, Sl 66.16-20.
(Charles Spurgeon)

Lucas 23
Jesus é levado a Pilatos. Este fica sabendo que Jesus é da Galiléia, que estava sob jurisdição de Herodes, e o envia para ele.  Herodes zomba de Jesus,  o veste com um manto esplêndido e o envia de volta para Pilatos.  Aliás, os dois até começam uma amizade nessa ocasião. Pilatos não consegue achar nenhuma culpa em Jesus e mostra não ter a intenção de aplicar-lhe a pena de morte. Mas por outro insistência dos religiosos e seus seguidores, acaba cedendo para não criar intrigas.
Jesus sofre todo tipo de zombaria. As autoridades o ridicularizavam.
Em resposta a todo esse sofrimento e humilhação, Jesus clama:

"Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo".
(Lucas 23:34)

Essa é uma amostra da perfeita obra de Cristo, pois constatamos que apenas ele foi capaz de amar o próximo como a si mesmo.  Abençoar e perdoar àqueles que estavam aniquilando seu corpo e zombando de sua situação.  Ninguém neste mundo teria uma atitude semelhante numa situação dessas.

O capítulo segue com a morte e sepultamento de Jesus.