Leitura bíblica - dia 68

Êxodo 17
Os israelitas continuam sua caminhada e, estando mais uma vez sem água, se queixam a Moisés: "por que nos tirou do Egito? Quer nos matar? O Senhor está entre nós ou não? Mimimi..."

Então Moisés clamou ao Senhor: "Que farei com este povo? Estão a ponto de apedrejar-me!"
(Êxodo 17:4)

Deus orienta Moisés a bater com seu cajado em uma rocha específica. A água começa a verter da rocha, saciando a sede do povo.

Depois disso os amalequitas vieram atacar os israelitas.  Moisés orienta a Josué para organizar homens e lutar contra os amalequitas, enquanto ele ficaria do alto da colina com os braços abertos.  E assim foi. Num evidente prenúncio da cruz de Cristo, enquanto Moisés permanecia com os braços abertos o povo de Deus vencia a batalha.  Quando Moisés, por causa do cansaço, abaixava os braços,  o povo de Deus perdia. 

Quando as mãos de Moisés já estavam cansadas, eles pegaram uma pedra e a colocaram debaixo dele, para que nela se assentasse. Arão e Hur mantinham erguidas as mãos de Moisés, um de cada lado, de modo que as mãos permaneceram firmes até o pôr-do-sol.
(Êxodo 17:12)

Perceba a Jesus Cristo nesta passagem acima.

Salmos 67
Ao mestre da música. Quem ele era não importa, e quem nós somos também tem pouca importância, contanto que o Senhor seja glorificado. Em Neginote, ou em instrumentos de cordas. Este é o quinto salmo intitulado desta forma, e, sem dúvida, como os demais, devia ser cantado com o acompanhamento de "harpistas tocando em suas harpas". Não oferece o nome do autor, mas seria ousadia tentar provar que não seja Davi quem o escreveu. Teríamos que fazer um grande esforço se resolvêssemos procurar outro autor para ser pai dessas odes que estão em pé de igualdade e familiaridade com as que são atribuídas a Davi. Um salmo ou canto. Solenidade e vivacidade estão unidos aqui. Um salmo é um canto, mas nem todos os cantos são salmos: este é tanto canto como salmo.
(Charles Spurgeon)

Lucas 24
Chegamos ao último capítulo do Evangelho de Cristo Segundo Lucas.

As mulheres (Joana,  Maria Madalena,  Maria mãe de Tiago e algumas outras) vão até o sepulcro mas Jesus não está mais lá.  Dois anjos aparecem e dizem que ele ressuscitou, lembrando que o próprio Jesus disse que isso aconteceria.  Elas contam aos onze discípulos mas eles não acreditam. Pedro, no entanto, foi conferir de perto e ficou admirado ao constatar que o túmulo estava vazio. Naquele mesmo dia Jesus apareceu a dois discípulos que voltavam para Emaús. Caminhou e conversou com eles, mas não o reconheceram. Apenas depois de cearem juntos, Jesus se deu a conhecer e logo em seguida desapareceu. Imediatamente eles voltaram para Jerusalém para contar aos outros.  Enquanto contavam, Jesus apareceu entre eles. A princípio ficaram com medo, pensando se tratar de um espírito.  Até hoje,  os kardecistas "ensinam" que Jesus não reapareceu carnalmente, mas em espírito.  Ora, não é o que o próprio Jesus diz:

"Vejam as minhas mãos e os meus pés. Sou eu mesmo! Toquem-me e vejam; um espírito não tem carne nem ossos, como vocês estão vendo que eu tenho".
(Lucas 24:39)

E se ainda havia alguma dúvida à esse respeito, ele comeu um belo peixe na presença deles.

Nessa mesma ocasião, pouco antes de subir ao céu, Jesus lhes abre o entendimento para que compreendam as Escrituras. 

Perceba que também dependemos da ação de Deus para que possamos entender. Se você não entende a Bíblia como um todo, ou alguma passagem específica,  seja humilde e clame a Deus por entendimento.

"Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida."
(Tiago 1:5)