Leitura bíblica - dia 76

Êxodo 25
Deus ordena a construção da Arca da Aliança e passa instruções minuciosas de como ela deveria ser confeccionada em cada detalhe. Da mesma forma como foi com a construção da Arca de Noé e como seria mais tarde na construção do Templo, nenhum detalhe passou desapercebido.

Salmos 75
Ao mestre da música. Eis aqui uma nobre obra para ele, pois o grito do salmo anterior está para ser ouvido, e o desafio dos inimigos de Israel é assumido pelo próprio Deus. Aqui a filha virgem de Sião despreza seu inimigo, e ri-se em zombaria dele. A destruição do exército de Senaqueribe é uma ilustração notável desse cântico sagrado. Al-taschith. Aqui temos outro dos salmos "não destrua", e o título talvez pretendesse ser um controle sobre a ferocidade natural dos oprimidos, ou um insulto ao inimigo selvagem, que aqui é amargamente ordenado para não destruir, porque a nação está bem consciente de que ele não pode. Aqui, em fé santa, a criança que mama brinca no buraco da víbora, e a desmamada põe a mão no covil da serpente. Um salmo ou canto de Asafe. Para ser lido ou cantado. Um hino a Deus e um cântico para seus santos. Feliz o povo que tendo encontrado o poeta Milton em Davi teve um compositor de canto quase igual em Asafe: mais feliz ainda, porque esses poetas não foram inspirados por fontes terrenas castelãs, e sim beberam "da fonte de toda bênção".
(Charles Spurgeon)

João 8
Os religiosos trazem uma mulher flagrada em adultério. Sabendo muito bem que a Lei de Moisés prevê apedrejamento para casos como esse, levam-na para ser julgada por Jesus, não para saberem o que fazer com ela (porque já sabiam), mas sim para pegarem Jesus em alguma falha. Mas na final é Jesus que acaba evidenciando a falha de todos alí.