Leitura bíblica - dia 79

Êxodo 28
Deus faz de Arão, sacerdote.  O mesmo com seus filhos e sua descendência.  Ordena que sejam preparadas roupas especiais para ele e passa instruções detalhadas de como seria essa roupa, cheia de detalhes e simbolismos, com tecidos especiais, ouro e pedras preciosas.

"Arão e seus filhos terão que vesti-los sempre que entrarem na Tenda do Encontro ou quando se aproximarem do altar para ministrar no Lugar Santo, para que não incorram em culpa e morram. "Este é um decreto perpétuo para Arão e para os seus descendentes."
(Êxodo 28:43)

Salmos 78
Maschil de Asafe. Este é corretamente denominado um salmo instrutivo. Não se trata apenas de uma recapitulação de eventos importantes da história israelita, mas pretende ser uma parábola que expõe a conduta e a experiência de crentes de todas as épocas. É uma prova singular do embotamento de mente de muitos professores que fazem objeção a sermões e exposições sobre as partes históricas da Escritura, como se elas não contivessem instrução em assuntos espirituais: fossem tais pessoas realmente iluminadas pelo Espírito de Deus, perceberiam que toda a Escritura é proveitosa, e corariam diante de sua própria tolice em subestimar qualquer porção do volume inspirado.

DIVISÃO
A unidade é mantida muito bem do começo ao fim, mas para a conveniência do leitor, podemos notar que Sl 78.1-8 pode ser visto como prefácio, expondo o objetivo do salmista na epopéia que ele escreve. Em Sl 78.9-41, o tema é Israel no deserto; então ocorre um relato sobre a bondade anterior do Senhor para com seu povo ao tirá-lo do Egito com pragas e maravilhas em Sl 78. 42-52. A história das tribos é retomada em Sl 78.53, e continua até Sl 78.66, quando chegamos ao tempo da remoção da arca para Sião e a transferência da liderança de Israel de Efraim para Judá, o que ocorre em canto de Sl 78.67-72.
(Charles Spurgeon)

João 11
Entre os versículos 1 e 44 está narrado o episódio da ressurreição de Lázaro, desde sua enfermidade até sua saída do túmulo ainda envolto em panos.  
Pelo visto esse milagre despertou ainda mais ódio nos religiosos.  Após uma reunião no Sinédrio, ficou resolvido que Jesus deveria morrer.

"Se o deixarmos, todos crerão nele, e então os romanos virão e tirarão tanto o nosso lugar como a nossa nação".
(João 11:48)

Assim, temporariamente,  Jesus se retirou para a região de Efraim, pois passou a ser perseguido em Jerusalém.