Leitura bíblica - dia 91

Êxodo 38
É a continuação do capítulo anterior. Toda a confecção do Tabernáculo em seus minuciosos detalhes e a incrível contribuição de Bezalel, homem capacitado unicamente por Deus para confeccionar os objetos sagrados com excelência.

Salmos 88
Um canto ou salmo para os filhos de Corá. Este lamento triste tem pouca semelhança com um canto, nem podemos entender como pode ter recebido um nome que significa um canto de louvor ou triunfo; contudo, talvez tenha sido intencionalmente assim chamado para mostrar como a fé "gloria também em tribulações". Com certeza, se existem cantos de lamentação e salmos de tristeza, este é um deles. Os filhos de Corá, que muitas vezes se uniram para salmodiar poemas jubilosos, são agora encarregados de cuidar destas frases tristonhas como se fossem um hino. Servos e cantores não têm muita escolha. Ao mestre dos músicos. Ele precisa dirigir os cantores e certificar-se de que cumpram bem a sua obrigação, pois tristeza santa deve ser expressa com tanto cuidado como o mais alegre louvor; nada deve ser feito de qualquer jeito na casa do Senhor. É mais difícil expressar bem a tristeza do que fazer soar notas de alegria. Sobre Mahalath Leannoth. Isso se traduz por Alexander: "com respeito à doença aflitiva", e, se estiver correto, indica a doença mental que ocasionou este canto tristonho. Maschil. Este termo já ocorreu várias vezes, e o leitor se lembrará que indica um salmo instrutivo ou didático: as tristezas de um santo são lições para outros; ensino experimental é extremamente valioso. De Hemã, o ezraita. O que nos indica a sua provável autoria; pode ter sido escrito por Hemã; mas qual deles não é fácil determinar, embora talvez não erremos muito ao supor que seja o homem mencionado em 1Re 4.31, como irmão de Etã, um dos cinco filhos de Zerá (1Cr 2.6), o filho de Judá, e, portanto, chamado "o ezraíta": se isso estiver certo, ele era famoso por sua sabedoria, e sua estadia no Egito durante o tempo da opressão do Faraó pode ajudar a explicar o baixo profundo de sua composição, e a forma antiga de muitas das expressões, que parecem mais de acordo com o estilo de Jó do que com o de Davi. Houve, no entanto, um Hemã no tempo de Davi que fazia parte do grande trio de músicos principais, "Hemã, Asafe e Etã" (1Cr 15.19), e não podemos provar que não tenha sido o compositor. Mas isso não é muito importante; quem quer que tenha escrito esse salmo era uma pessoa que possuía uma profunda experiência, que havia lidado nas grandes águas da tribulação da alma.
(Charles Spurgeon)

Atos 3
Pedro e João estão à porta do Templo, quando surge um aleijado pedindo-lhes esmola.

Disse Pedro: "Não tenho prata nem ouro, mas o que tenho, isto lhe dou. Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, ande".
(Atos 3:6)

O homem foi curado e passou a pular de alegria e louvar a Deus, chamando assim a atenção de todos. O povo passou a considerar a Pedro e a João como milagreiros ou algo do tipo. Pedro, em um tom áspero, procura desfazer o engano, explicando que o homem foi curado por Deus, pelo Nome de Jesus.  Aproveitando a curiosidade dos transeuntes, Pedro emenda uma pregação sobre Cristo, explicando que Ele era o Messias anunciado há séculos pelos profetas, coisa que os judeus sabiam muito bem e mesmo assim o mataram. O Evangelho também é anunciado, por meio de sua principal mensagem. Aquela mesma que anda sumida no atual cristianismo"

"Arrependam-se, pois, e voltem-se para Deus, para que os seus pecados sejam cancelados."
(Atos 3:19)