Leitura bíblica - dia 93

Êxodo 40
Chegamos ao último capítulo do livro de Êxodo. Deus dá instruções para a montagem do Tabernáculo. Determina a consagração dos objetos, do sacerdote Arão e de seus filhos, bem como a purificação de todos.

"Assim, o tabernáculo foi armado no primeiro dia do primeiro mês do segundo ano."
(Êxodo 40:17)

Entre os versículos 34 e 38 temos o relato da comunicação de Deus com o povo através de uma nuvem.

Salmos 90
Uma oração de Moisés, o homem de Deus. Muitas tentativas já foram feitas para provar que Moisés não escreveu este salmo, mas nós permanecemos firmes na convicção de que ele seja o seu autor. A condição de Israel no deserto é tão eminentemente ilustrativa de cada versículo, e as palavras tão semelhantes a tantas do Pentateuco, que as dificuldades sugeridas são, à nossa mente, leves como o ar em comparação com as evidências em favor de sua origem mosaica. Moisés foi poderoso na palavra bem como na ação, e cremos ter sido este salmo um de seus pronunciamentos de peso, digno de se colocar ao lado de seu glorioso discurso registrado em Deuteronômio. Moisés era de modo todo especial um homem de Deus e de Deus um homem, escolhido por Deus, inspirado por Deus, honrado por Deus, e fiel a Deus em toda a sua casa, bem merecendo o nome que aqui lhe é dado. O salmo é chamado de oração, pois os pedidos finais entram em sua essência, e os versículos anteriores são uma meditação preparatória à súplica. Homens de Deus certamente serão homens de oração. Esta não foi a única oração de Moisés. De fato, é apenas uma amostra da maneira em que o vidente de Horebe se inclinava a estar em comunhão com o céu e a interceder pelo bem de Israel. Este é o mais antigo dos salmos, e se acha entre dois livros de salmos como uma composição única em sua grandeza, e sozinha em sua antigüidade sublime. Muitas gerações de lamentadores escutaram este salmo enquanto rodeavam de pé um túmulo aberto, e foram consolados por ele, mesmo quando não perceberam como se aplicava de modo especial a Israel no deserto e esqueceram-se de lembrar o terreno muito mais alto sobre o qual os crentes agora estão de pé.

ASSUNTO E DIVISÃO
Moisés canta a fragilidade do homem e a brevidade da vida, contrastando com isso a eternidade de Deus, e fazendo apelos sinceros por compaixão. A única divisão que será útil separa a contemplação em Sl 90.1-11 de Sl 90.12-17. Não há necessidade nem dessa quebra, porque a unidade é bem preservada em todo o salmo.

Atos 5
O casal Ananias e Safira mente para Pedro a respeito da venda de uma propriedade e ambos caem mortos subitamente.

"E grande temor apoderou-se de toda a igreja e de todos os que ouviram falar desses acontecimentos."
(Atos 5:11)

Nessa época, os cristãos costumavam se reunir em um dos portais do Templo. Muitos vinham de vários lugares para serem curados e libertos.

Claro que tudo isso causava uma enorme inveja nos líderes religiosos.
Então mandaram prender os apóstolos. No entanto, um anjo os tirou da cadeia e no dia seguinte, lá estavam eles ensinando a respeito de Jesus. Novamente foram levados à presença dos líderes religiosos para serem interrogados e novamente afirmaram que não deixariam de proclamar o Evangelho.  Os religiosos queriam condená-los,  mas um dos principais, chamado Gamaliel, sabiamente sugeriu:

"Varões israelitas, acautelai-vos a respeito do que estais para fazer a estes homens.
Porque, há algum tempo, levantou-se Teudas, dizendo ser alguém; ao qual se ajuntaram uns quatrocentos homens; mas ele foi morto, e todos quantos lhe obedeciam foram dispersos e reduzidos a nada. Depois dele levantou-se Judas, o galileu, nos dias do recenseamento, e levou muitos após si; mas também este pereceu, e todos quantos lhe obedeciam foram dispersos. Agora vos digo: Dai de mão a estes homens, e deixai-os, porque este conselho ou esta obra, caso seja dos homens, se desfará; mas, se é de Deus, não podereis derrotá-los; para que não sejais, porventura, achados até combatendo contra Deus."
(Atos 5:35-39)

Então os apóstolos foram dispensados, mas antes porém,  foram açoitados.  E ficaram honrados por serem castigados por causa do nome de Jesus.