Leitura bíblica - dia 137

Números 16
Corá, da tribo de Levi,  juntamente com Datã e Abirão da tribo de Rúben, encabeçaram uma rebelião contra Moisés e Arão, contando com outros duzentos israelitas, líderes da comunidade.

Números 16:3 - Eles se ajuntaram contra Moisés e Arão, e lhes disseram: "Basta! A assembléia toda é santa, cada um deles é santo, e o Senhor está no meio deles. Então, por que vocês se colocam acima da assembléia do Senhor?"

Ouvindo isso, Moisés se lamentou profundamente e disse a Corá e seus seguidores:

Números 16:5 - "Pela manhã o Senhor mostrará quem lhe pertence e fará aproximar-se dele aquele que é santo, o homem a quem ele escolher.

Então decretou que todos se apresentassem pela manhã,  munidos de seus incensários.

Leia e confira o que aconteceu.

Salmos 133
Um cântico de degraus de Davi. Não vemos razão nenhuma de privar Davi da autoria desse soneto brilhante. Ele conhecia por experiência a amargura causada por divisões em famílias, e estava bem preparado para celebrar em finíssima salmodia a bênção da unidade pela qual suspirava. Dentre os "cânticos de peregrinação" este hino certamente chegou a um ótimo nível, e mesmo na literatura comum é citado com freqüência pelo seu perfume e orvalho. Neste salmo não há nenhuma palavra amarga, tudo é "doçura e luz" - uma elevação notável em contraste com o salmo 110 com o qual os peregrinos partiram. Aquele era cheio de guerra e lamentação, mas este canta a paz e a suavidade. Os visitantes a Sião estavam prestes a retornar, e este pode ter sido seu hino de júbilo por terem visto tanta união entre as tribos que se reuniram no altar que tinham em comum. O salmo anterior, que canta a aliança, também havia revelado o centro da unidade de Israel no ungido do Senhor e promessas feitas a ele. Não é de admirar que os irmãos habitem em união quando Deus habita no meio deles, e encontra neles o seu repouso. Nossos tradutores têm dado a este salmo um cabeçalho admirável: "O benefício da comunhão dos santos". Esses homens excelentes muitas vezes acertam o sentido de um texto em poucas palavras.
(Charles Spurgeon)

1 Coríntios 4
A igreja em Corínto passava por vários problemas. Aqui, nos parece ser um certo excesso de vaidade por parte de alguns. Paulo exorta para que enxerguem a si próprios e percebam que tudo foi dado por Deus e portanto, não há motivo para vanglória e nem tampouco para julgamentos de atitudes, afinal, Deus há de julgar.

Entre os versículos 9 e 13, Paulo comenta como era a vida dos apóstolos.  Perceba com bastante atenção que era uma vida muuuito diferente da vida daqueles que se dizem "apóstolos" hoje em dia:

1 Corintios 4:

9- Porque me parece que Deus nos colocou a nós, os apóstolos, em último lugar, como condenados à morte. Viemos a ser um espetáculo para o mundo, tanto diante de anjos como de homens.

10 - Nós somos loucos por causa de Cristo, mas vocês são sensatos em Cristo! Nós somos fracos, mas vocês são fortes! Vocês são respeitados, mas nós somos desprezados!

11 - Até agora estamos passando fome, sede e necessidade de roupas, estamos sendo tratados brutalmente, não temos residência certa e

12 - trabalhamos arduamente com nossas próprias mãos. Quando somos amaldiçoados, abençoamos; quando perseguidos, suportamos;

13 - quando caluniados, respondemos amavelmente. Até agora nos tornamos a escória da terra, o lixo do mundo.