Leitura bíblica - dia 142

Números 21

O exército cananeu capturou alguns israelitas e estava bem na batalha.  Os israelitas pediram e Deus deu a vitória.  Os cananeus foram totalmente destruídos. Partiram do monte Hor pelo caminho do mar Vermelho, para contornarem a terra de Edom. Mas o povo ficou impaciente no caminho e começaram a murmurar contra Deus e contra Moisés com aquela velha ladainha de sempre: "deveríamos ter ficado no Egito, mimimimi..."

Números 21:6 - Então o Senhor enviou serpentes venenosas que morderam o povo, e muitos morreram.
Percebendo o erro,  voltaram a Moisés para que ele intercedesse pedindo para Deus que sumisse com as cobras.

Números 21:8 - O Senhor disse a Moisés: "Faça uma serpente e coloque-a no alto de um poste; quem for mordido e olhar para ela viverá".

É, sem dúvida, uma das várias referências a Cristo no Antigo Testamento.

João 3:14-15 "E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado; Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna".

Salmos 138

Um salmo de Davi. Este salmo está localizado sabiamente. Quem quer que tenha editado e ordenado estes poemas sacros, tinha a visão de justaposição e contraste, pois se no Sl 137.1-9 vemos a necessidade de silêncio diante de zombadores, aqui vemos a excelência de uma corajosa confissão. Há um tempo para calar, para não lançar pérolas aos porcos, e há um tempo para falar abertamente, para não ser considerado culpado de covardia por não confessar. O salmo é evidentemente de caráter davídico, evidenciando toda a fidelidade, coragem e determinação resoluta daquele rei de Israel e príncipe dos salmistas. Naturalmente os críticos já tentaram negar a autoria de Davi devido à menção do templo, embora ocorra a mesma palavra em um dos salmos que é permitido ser de Davi. Muitos críticos modernos são para a palavra de Deus o que moscas-varejeiras são para a comida dos homens: não podem fazer nenhum bem, e se não são implacavelmente enxotadas fazem grande mal.

DIVISÃO
Em plena confiança, Davi está preparado para confessar seu Deus diante dos pagãos, ou diante de anjos ou governadores (Sl 138.1-3); ele declara que instruirá e converterá reis e nações, até que na própria estrada homens cantem os louvores do Senhor (Sl 138.4-5). Tendo dito isso, ele pronuncia sua confiança pessoal em Jeová, que ajudará seu humilde servo, e o preservará de toda a malícia de inimigos irados.
(Charles Spurgeon)

1 Coríntios 9

A princípio, Paulo parece reivindicar algum tipo de pagamento por estar pregando o Evangelho:

1 Coríntios 9:4-7 Não temos nós o direito de comer e beber?
Não temos nós o direito de levar conosco uma esposa crente como fazem os outros apóstolos, os irmãos do Senhor e Pedro?
Ou será que só eu e Barnabé não temos direito de receber sustento sem trabalhar?
Quem serve como soldado à própria custa? Quem planta uma vinha e não come do seu fruto? Quem apascenta um rebanho e não bebe do seu leite?

Mas depois fica claro que Paulo abre mão desse pagamento, mesmo mostrando que seria justo tê-lo:

1 Coríntios 9:18-19 Qual é, pois, a minha recompensa? Apenas esta: que, pregando o evangelho, eu o apresente gratuitamente, não usando, assim, dos meus direitos ao pregá-lo.
Porque, embora seja livre de todos, fiz-me escravo de todos, para ganhar o maior número possível de pessoas.